Filha de ex-prefeito de Juiz de Fora acusada de golpes é indiciada por estelionato

Tatiana dos Santos Bejani, de 28 anos,confessou que oferecia casas para aluguel em praias do litoral brasileiro, sendo que os imóveis não existiam

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 13/02/2014 15:47 / atualizado em 13/02/2014 15:09

João Henrique do Vale

TV Alterosa/Reprodução

A filha do ex-prefeito de Juiz de Fora, Alberto Bejani (PSL), que está presa na cidade desde 21 de janeiro, foi indiciada pelo crime de estelionato. Tatiana dos Santos Bejani, de 28 anos, confessou ter aplicado golpes em que oferecia casas para aluguel em praias do litoral brasileiro, sendo que os imóveis não existiam. Porém, o valor total arrecadado por ela não foi estipulado. A mulher era investigada em seis inquéritos, quatro deles foram encerrados e devem ser remetidos à Justiça ainda neste semana.

Tatiana Bejani foi presa em cumprimento de dois mandados de prisão. A mulher foi encontrada em um salão de beleza, depois que a Polícia Militar (PM) recebeu denúncia anônima. Ao ser abordada, ela se identificou como Tatiana dos Santos Faria e disse ser natural de Cabo Frio, no Rio de Janeiro. A polícia fez uma consulta no sistema Integrado de Defesa Social (ISP) e na Rede Infoseg, da Secretaria Nacional de Segurança Pública, mas nenhuma pessoa com o nome fornecido foi encontrada. Os policiais fizeram uma busca na internet com o nome real de Tatiana. Na consulta, conseguiram encontrar um santinho de 2004, com a foto da filha do ex-prefeito, que saiu candidata a vereadora na cidade. Com a confirmação, Tatiana foi levada para a delegacia.

Os golpes aplicados por Tatiana foram denunciados pelo jornal "O Globo", no início deste ano. Conforme a reportagem, a mulher oferecia imóveis de temporada pela internet no litoral brasileiro, como em Cabo Frio e Natal. Ela mantinha contato com as vítimas por meio de e-mails e também por telefone. A filha do ex-prefeito de Juiz de Fora convencia as pessoas a alugarem o imóvel e conseguia o depósito de parte do dinheiro.

Em depoimento ao delegado Eurico Cunha, da 7ª Delegacia da Polícia Civil de Juiz de Fora, responsável pela investigação de quatro inquéritos em que a mulher é acusada de estelionato, ela debochou das vítimas. “Falou que as pessoas não tomaram cuidado e acreditaram nela, e por isso também tinham culpa”, explica o policial.

Conforme o delegado, todos os quatro inquéritos presididos por ele, foram encerrados. “ Ela foi indiciada por estelionato nos quatro. Ainda nesta semana vamos encaminhá-los à Justiça”, afirmou. Bejani segue presa na Penitenciária Ariosvaldo Campos Pires, em Juiz de Fora.
Tags: