Preso em BH advogado que liderava uma quadrilha de roubo de carros de luxo no Brasil

O "doutor do crime" articulava o transporte de veículos roubados para o Paraguai, Peru e Bolívia. Ao todo, nove membros da organização criminosa foram presos durante a Operação Lobo de Ferro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Paulo Filgueiras/EM DA Press
A Polícia Civil prendeu em Belo Horizonte um advogado que liderava uma quadrilha de roubo de carros de luxo no Brasil. Evangevaldo Castanheira dos Santos, o “Gim”, de 43 anos, é de Foz do Iguaçu (PRF) e articulava o transporte de veículos roubados para o Paraguai, Peru e Bolívia. Ele foi detido depois de uma longa investigação que chegou a cada um dos integrantes do bando. Outros nove membros da organização criminosa foram presos durante a Operação Lobo de Ferro desencadeada pelas delegacias de São Gotardo e Patos de Minas, Departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp) e Grupo de Combate ao Crime Organizado ( GCOC) do Ministério Público de Minas Gerais.

As investigações começaram em 2011, depois que quatro bandidos roubaram uma Volkswagen Amarok dentro de uma concessionária em São Gotardo, no Alto Paranaíba. Webert Warne Brito de Oliva, Avides Luiz Batista, Jefferson Fernandes de Azevedo e Jackson Marconi Silva, sairam de BH armados e invadiram a loja na cidade do interior. Eles renderam o vigia e sequestram o funcionário da concessionária, que foi abandonado na região metropolitana da capital. No dia do crime, os assaltantes conseguiram fugir com a caminhonete.

Durante as investigações, a polícia descobriu outros crimes praticados pelo mesmo grupo em BH, como o roubo de um XC60 Volvo. Policiais conseguiram prender quatro assaltantes com esse veículo roubado: Webert, Carlos Roberto Gonçalves Lima, Watson Bruno Menezes e Roberto de Paula Guides. Todos eles estavam no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, adulterando a placa do veículo para que fosse levado para fora do país.

Depois dessa prisão, os policiais foram em busca de outro “braço” da quadrilha em Caraguatatuba (SP). Na cidade paulista, prenderam Maria de Fátima Barboza de Lima, a "Fátima despachante", responsável por falsificar os documentos dos carros roubados e providenciar placas clonadas para que os veículos pudessem rodar nas estradas brasileiras até a fronteira, antes de serem entregues a receptadores internacionais. No fim da operação, os outros assaltantes que roubaram Amarok também acabram presos.

Doutor do crime

Segundo a polícia, o grande líder dessa quadrilha é o advogado Evangevaldo, conhecido como “doutor do crime”. Ele encomendava os veículos e negociava com criminosos em outros países. O advogado foi preso no centro de BH no último dia 26, logo depois de desembarcar no aeroporto de Confins vindo de uma escala Paraná/São Pauto/Minas.

(Com Andrea Silva)
Tags: