Ataques a caixas eletrônicos em Minas Gerais já ultrapassam registros de 2011

Já chegam a 172 este ano em todo o estado, sendo 44 a mais do que o registrado em 2011. Na maioria dos casos, a polícia não conseguiu pistas dos autores

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/10/2012 06:00 / atualizado em 05/10/2012 06:42

Pedro Ferreira

Edésio Ferreira/EM/D.A Press

A explosão de um caixa eletrônico do Banco do Brasil na madrugada dessa quinta-feira em São Joaquim de Bicas, Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), eleva para 172 crimes dessa modalidade este ano em Minas. Já são 44 casos a mais do que foi registrado durante todo o ano passado pela polícia. Moradores da Avenida José Gabriel de Resende, no Bairro Tereza Cristina, se assustaram com a explosão numa máquina de autoatendimento do Banco do Brasil, por volta das 3h. Cerca de R$ 30 mil foram levados. Quando a Polícia Militar chegou, os ladrões já haviam fugido e deixado notas de R$ 100 e de R$ 50 espalhadas pelo chão. Parte da estrutura da agência foi danificada, com mesas, divisórias e forro destruídos.

Há suspeita de que no momento da explosão os ladrões tenham desviado a atenção da PM denunciando uma falsa ocorrência de agressão. De acordo com o tenente João Guilherme Ferreira, os criminosos quebraram a porta de vidro da entrada da agência com auxílio de uma alavanca, utilizada para arrombar o caixa eletrônico, no qual instalaram as bananas de dinamite. O tenente informou que policiais da cidade e da vizinha Igarapé fizeram rastreamento na região na tentativa de localizar a quadrilha, em vão. Uma vizinha do banco contou que ouviu vozes de homens conversando, seguindo-se a explosão e a fuga dos ladrões em direção à BR-381.

Pela manhã, a PM recebeu denúncia anônima do encontro de seis tubos em um lote vago da Rua Ema Valentini, no Bairro Paraopeba, a seis quilômetros da agência bancária. Eles estavam ligados por fios pretos e vermelhos. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionado e isolou todos os quarteirões próximos, mas verificaram que o material não oferecia perigo. Também na madrugada de ontem, no Bairro São Caetano, em Contagem (RMBH), ladrões desistiram de arrombar um caixa eletrônico, abandonando as ferramentas no local.

Rastilho de pólvora

Em 28 de setembro, ladrões explodiram um caixa eletrônico na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), em Uberaba, mas não chegaram a levar o dinheiro. Dois vigias foram rendidos. Em 24 de setembro, dois caixas eletrônicos do Banco Santander foram arrombados na Avenida Francisco Sá, no Bairro Prado, Região Oeste da capital, e roubados R$ 70 mil. Os ladrões quebraram uma parede de gesso que divide o saguão da parte interna da agência e destruíram a parte de trás das máquinas. Na terça-feira, o alarme de um banco disparou no Bairro Céu Azul, Região da Pampulha, Norte de BH, e os ladrões fugiram deixando bananas de dinamite na máquina. Em 21 de setembro, dois caixas eletrônicos do Bradesco foram arrombados no Mercado Central de Contagem. Dois vigilantes foram amarrados no banheiro.