Loja é assaltada pela quinta vez em um ano no Bairro Santa Amélia

Comerciante pensa em fechar estabelecimento por causa dos constantes prejuízos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 14/09/2012 06:00 / atualizado em 14/09/2012 06:37

Bárbara Ferreira

O empresário Esdras Jonatas dos Santos, de 23 anos, já teve sua loja assaltada cinco vezes em apenas um ano e pensa em fechar as portas. O último roubo ocorreu na quarta-feira à noite, quando três homens armados chegaram ao estabelecimento comercial, que vende roupas esportivas para jovens, agrediram Esdras e fugiram com cerca de R$ 60 mil em mercadorias, R$ 2 mil em dinheiro e o celular da vítima.

A loja fica na Rua Guarapari, no Bairro Santa Amélia, na Região da Pampulha e, segundo o dono, a insegurança é grande. “Tocaram o interfone por volta das 20h30. Um jovem muito bem arrumado estava na portão. Deixei que ele entrasse e foi surpreendido pela presença de mais duas pessoas, que o seguiram. Eles entraram, me deram uma coronhada na cabeça e começaram a pegar as mercadorias”, contou o empresário. Ele informou ainda que os bandidos pediram sacolas para transportar os produtos roubados. Como ele não tinha, as roupas foram postas em sacos de lixo.

Os ladrões quebraram as prateleiras, arrombaram o caixa, pegaram o dinheiro e prenderam o empresário em um cômodo no fundo da lojas. “Mandaram que eu ficasse quieto até escutar o barulho do portão lá de baixo. Quando percebi que estava sozinho, voltei para a loja e vi que eles tinham roubado praticamente tudo. Mais uma vez fui prejudicado por causa de bandidos”, desabafou o empresário.

A Polícia Militar chegou ao local cerca de 15 minutos depois dos assaltantes fugirem. Fizeram buscas na região mas não encontraram ninguém. O delegado da 2ª Delegacia de Venda Nova, Matheus Cobussi, encarregado das investigações, não considera a região perigosa, e atribuiu o assalto ao fato da loja “ser um estabelecimento comercial com grande volume de mercadorias e dinheiro, o que atrai a criminalidade.”

Recorrente

Esdras Jonatas não tem a mesma opinião do delegado a respeito dos índices de violência no Santa Amélia, e lembra que só no ano passado foi vítima de quatro assaltos. No último, em dezembro, os bandidos levaram praticamente tudo. “Três pessoas chegaram, me renderam e roubaram o que eu tinha. Não acreditava que iria passar por isso de novo e remontei meu negócio”, disse.

Sem conter a emoção, o dono da loja não sabe o que vai fazer daqui em diante, mas deve fechar o estabelecimento. “É um sonho que está indo embora. Conquistei meus clientes, meu ponto e fui em frente com meu negócio. De repente, os bandidos acabam com o que construí. Não sei se tenho outra saída a não ser fechar as portas”.