Visitas são canceladas no Presídio de Guaxupé após agente penitenciário ser morto por preso

As medidas foram tomadas apenas neste fim de semana como forma de luto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 17/08/2012 15:05 / atualizado em 17/08/2012 15:22

João Henrique do Vale

As visitas no Presídio de Guaxupé, na Região Sul de Minas, foram suspensas neste fim de semana, em forma de protesto contra a morte do agente penitenciário Ricardo Zavagli, de 25 anos, baleado na cabeça por um detento. De acordo com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) foi decretado luto no local. Os familiares e amigos de presos poderão encontrá-los apenas no próximo fim de semana, quando os trabalhos voltarão ao normal.

Ricardo foi morto com um tiro disparado a queima roupa por um detento que usou a própria arma do agente. De acordo com a Polícia Militar (PM), Emílio José Romanini, conhecido pelo apelido de Nequinha, conseguiu desarmá-lo durante um trabalho realizado para a prefeitura da cidade de descarregar um caminhão de entulho em um lote vago.

O agente fazia a escolta dos presos acompanhado por funcionários da prefeitura. Depois de matar Ricardo, Nequinha rendeu o motorista da van, que levou os presos até o local, e o obrigou a conduzí-lo até um local próximo, de onde fugiu a pé. Ele só foi localizado horas depois próximo a uma fazenda, distante cerca de 20 km de Guaxupé, entre as cidades paulistas de Tapiratiba e São José do Rio Pardo. No trajeto, ele rendeu o motorista de um caminhão e foi detido por policiais rodoviários.

O agente Ricardo era casado e cursava o último ano de Direito.