Greve no metrô de BH começa nesta segunda-feira com paralisação total das viagens

CBTU aguarda manifestação da Justiça sobre pedido para que os metroviários mantenham escala mínima na circulação dos trens

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 13/05/2012 19:01 / atualizado em 13/05/2012 20:47

Daniel Silveira

Quem utiliza o metrô de Belo Horizonte deve se preparar para alterar a rotina de transporte nesta semana. A partir das 0h desta segunda-feira os metroviários irão paralisar totalmente as atividades. A greve foi anunciada na última quinta-feira, após assembleia da categoria na capital mineira, que decidiu se unir ao movimento grevista nacional por tempo indeterminado.

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), ajuizou, na sexta-feira, uma ação cautelar junto ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para que seja garantida uma escala mínima na circulação do Metrô de BH. Entretanto, o judiciário ainda não se manifestou sobre o pedido. “A greve é total e o metrô não irá circular a partir desta segunda-feira”, afirma a presidente do Sindicato dos Empregados em Empresas de Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais (SINDIMETRO-MG).

Os metroviários reivindicam reajuste salarial, participação nos lucros e resultados, adicional noturno de 50%, além de plano de saúde. De acordo com o Sindicato dos Empregados em Empresas de Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais (SINDIMETRO-MG), a CBTU se recusa a aumentar os salários e definiu manter congelados os benefícios dos trabalhadores, como os auxílios transporte e alimentação.

A CBTU, por sua vez, afirma que está aberta à negociação para firmar acordo coletivo que valerá para todas as operadoras da Companhia no país. Segundo a empresa, as negociações tiveram início no começo do ano.

Ainda segundo a CBTU, mais de 200 mil pessoas deverão ser prejudicadas com a paralisação do metrô em BH, que realiza, em média, 290 viagens por dia.