Publicidade

Estado de Minas

Ex-vereador e filhos são assassinados em chacina no Vale do Rio Doce

Homens armados invadiram uma fazenda e mataram cinco pessoas. Um garoto de 12 anos e um filho do ex-vereador conseguiram escapar. A motivação ainda é desconhecida


postado em 07/02/2012 14:09 / atualizado em 08/02/2012 13:16

Cinco pessoas foram assassinadas em uma fazenda que fica no distrito de Divino do Sul, em Tumiritinga, no Vale do Rio Doce(foto: Reproducao/TV Alterosa)
Cinco pessoas foram assassinadas em uma fazenda que fica no distrito de Divino do Sul, em Tumiritinga, no Vale do Rio Doce (foto: Reproducao/TV Alterosa)

 

Uma chacina chocou moradores do interior de Minas nesta terça-feira. Cinco pessoas foram assassinadas em uma fazenda que fica no distrito de Divino do Sul, em Tumiritinga, no Vale do Rio Doce. Segundo a polícia, os suspeitos renderam as vítimas e atiraram contra elas sem dar chance de defesa. Alguns dos mortos chegaram a ser algemados. Entre eles estava o ex-vereador Jandir Caetano dos Santos, dois filhos dele e dois funcionários que cuidavam do terreno. Um terceiro filho do parlamentar e um garoto de 12 anos conseguiram fugir. O crime teria sido motivado por vingança.

De acordo com a polícia, por volta das 7h, três homens chegaram em uma fazenda e sequestraram dois rapazes, filhos do vereador. Eles foram algemados e colocados dentro de um Fox prata. Os suspeito os levaram até a sede da propriedade vizinha, que pertence a Jandir Dos Santos. Lá, os bandidos encontraram com um vaqueiro, que também foi algemado, além da empregada da casa e o filho adolescente dela.

Após deixar todos na cozinha, os suspeitos seguiram até o curral, onde estava o ex-vereador e um outro filho. Ao ver os bandidos, Jandir e o jovem, que ainda não foi identificado, tentaram fugir. O mais novo conseguiu escapar, mas o ex-parlamentar acabou alcançado quando tentava pular uma cerca. Ele levou três tiros na cabeça.

Os homens voltaram para casa e continuaram a matança. Eles alinharam os dois filhos, o vaqueiro e a empregada da casa e atiraram várias vezes contra eles. Todos morreram na hora. A criança de 12 anos assistiu a toda a cena e foi poupada pelos suspeitos. A polícia suspeita que os bandidos tiveram dó de matar o garoto.

Os mortos foram identificados como Jandir Caetano dos Santos, Neide de Modesto de Oliveira, Wilson Cléver dos Santos, Nivaldo dos Santos, e o vaqueiro, chamado Adriano.

A polícia informou que, pela forma que aconteceu o crime, a motivação seria vingança. Os suspeitos fugiram do local e ainda não foram encontrados.

“Cena chocante”

Alguns dos mortos chegaram a ser algemados antes da execução. O crime teria sido motivado por vinganca(foto: Reprodução/TV Alterosa)
Alguns dos mortos chegaram a ser algemados antes da execução. O crime teria sido motivado por vinganca (foto: Reprodução/TV Alterosa)


O vereador e amigo da família, Joaquim Raimundo Gomes (PT), disse que a cena era chocante. Ele foi até a fazenda logo depois que ficou sabendo da chacina. Muito emocionado, revelou detalhes do local onde tudo aconteceu. Ele contou que todos morreram com um tiro na cabeça e, somente o ex-parlamentar estava no curral. “Assim que fiquei sabendo fui para lá. A cena era de uma verdadeira chacina. Seu Jandir foi morto no curral, onde estava com o filho, conhecido aqui na região como Niltinho. Os assassinatos foram realizados por profissionais”, revelou.

Raimundo disse ainda que não acredita em crime político, já que Jandir, aparentemente, não tinha inimigos. A esposa e o filho que conseguiu escapar estavam em estado de choque. “Estou na casa da mulher dele e ela está muito abalada, sem condições de falar. Eu não acredito em crime político, pois o Jandir era uma pessoa muito querida na cidade, a fazenda dele sempre estava aberta para qualquer um”, diz emocionado.

Histórico

O vereador foi eleito por três mandatos seguidos na cidade, de 1983 à 1996. Após essa data ele largou a política pra se dedicar inteiramente à sua fazenda, onde criava gado.

(Com informações de Wilson Ribeiro e Max Vianey da TV Alterosa)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade