15°/ 28°
Belo Horizonte,
21/NOV/2014
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Moradores de Betim ajudam famílias que perderam tudo com a chuva

Sara Lira - Aqui Betim

Gabriela Pacheco - Aqui Betim

Publicação: 06/01/2012 12:03 Atualização: 06/01/2012 12:27

Volutários distribuem alimentos em Betim  (Edesio Ferreira/EM DA Press)
Volutários distribuem alimentos em Betim
Dezenas de famílias foram desalojadas em Betim nos últimos dias por conta das fortes chuvas. Algumas perderam tudo, até as casas. Muitas delas foram remanejadas para abrigos improvisados em escolas ou para casas de amigos e parentes. A situação é crítica, uma maneira que ninguém gostaria de começar o ano.

Diante desse quadro, dois moradores de Betim se sensibilizaram com a situação de quem perdeu tudo por conta dos temporais e decidiram se mobilizar para arrecadar donativos. Há cerca de duas semanas o microempresário Mateus Camargos, 24 anos, um dos idealizadores, criou um perfil na rede social Facebook para divulgar a campanha. No grupo denominado “Doações para desabrigados das chuvas em Betim”, trezentas pessoas se mobilizam para conseguir os donativos. Alimentos, roupas calçados, brinquedos, materiais de higiene pessoal, eletrodomésticos, colchões e outros objetos são solicitados. “Estou fazendo isso para ajudar mesmo. Todos estão vendo o que está acontecendo com as famílias que perderam tudo e ninguém toma uma iniciativa. Nós nos sensibilizamos e estamos recolhendo essas doações para ajudar”, afirmou Mateus.


Segundo ele, até então as pessoas têm se mobilizado e doado produtos. De camas a alimentos, as doações vão chegando aos poucos nos pontos de entrega. “Até o momento já arrecadamos treze cestas básicas, além de roupas, fogões e camas”, relatou. Além disso, empresários e dois supermercados da região também contribuíram com doações. Ele frisou que a prioridade de arrecadações é de alimentos. “Pedimos que cada um peça ou avise em suas igrejas para doar um quilo de alimento pois está precisando muito. Se cada pessoa doar um pouco, teremos muito”, disse.

Mateus ainda adiantou que futuramente, pretende realizar a reconstrução das casas. “Devemos promover festas beneficentes para arrecadar fundos. Esse grupo não vai acabar, vai só aumentar. Já faz muito tempo que tenho o desejo de ajudar às pessoas e me sinto realizado por se tornar realidade”, disse.


Ele ressaltou que a importância de se realizar a campanha via internet é a facilidade de comunicação e divulgação da mobilização. “Tenho quase dois mil amigos no Facebook e não iria conseguir me comunicar com todas por telefone. Então montei o grupo e chamei alguns amigos com quem eu podia contar. A facilidade de me comunicar pelo Facebook é maior”, disse.

Pontos de arrecadação

No total, quatro pontos em diferentes regiões da cidade estão recebendo os donativos. São eles Rua Uberlândia, nº 145, Bairro Niteroi (falar com Naiara Correia); na administração do Parque de Exposições David Gonçalves Lara e na Igreja Batista Nova Canaã, na Avenida Bandeirantes, nº 67, Centro (neste caso especificar que as doações são para os desabrigados das chuvas em Betim). Os donativos podem ser entregues durante o dia. Qualquer dúvida pode ser esclarecida pelo telefone 8511-2136.

Prejuízos

Betim decretou estado de emergência na última quarta-feira por conta dos prejuízos causados pelas chuvas. De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura da cidade, 700 pessoas estão desalojadas e 15 foram desabrigadas. No total, segundo a assessoria, 16 imóveis foram condenados pela Defesa Civil.

Os Bairros em que foram detectados pontos de alagamento são Colônia Santa Isabel, Vila Cruzeiro, Vila Machadinha e Aroeiras, na região de Citrolândia, e ainda na Região de Vianópolis. Estes pela proximidade com o Rio Paraopeba, que transbordou. Os Bairros Itacolomi e Nossa Senhora de Fátima, na região do Alterosas, também correm risco de alagamento pela proximidade com a represa Várzea das Flores que se enche por causa do grande volume de chuvas e, consequentemente, eleva o nível do Rio Betim. Ocorreu ainda um deslizamento no Jardim Teresópolis e também em outras áreas isoladas da cidade.

Moradores tentam recomeçar

 (Edesio Ferreira/EM DA Press)


A Colônia Santa Isabel, local em que os danos da chuva foram mais críticos na cidade, acordou nesta sexta-feira coberta de barro e não de água, como ficou durante boa parte da semana. Com a trégua da chuva por três dias, as águas do rio Paraopeba e do córrego Bandeirinhas, que alagaram diferentes regiões do bairro, muitos moradores voltaram à suas casas para retirar a lama e começar a maratona de limpeza. Um mutirão da prefeitura também foi formado para a limpeza das ruas, que envolveu a Divisão de Obras e Limpeza Urbana e a Defesa Civil. A operação ainda contou com o apoio da Transbetim e da Polícia Militar.

As entradas do bairro foram liberadas, ao menos pela água. Como o trabalho de retirada do barro e entulho é intenso, motoristas ainda tiveram que buscar rotas alternativas para chegar ao centro da Colônia. A Rua Padre Damião, que teve um quarteirão tomado inteiramente pela água do córrego Bandeirinhas, foi uma das primeira a receber a limpeza. Agentes da prefeitura auxiliaram um trator na retirada do barro, enquanto que a Defesa Civil limpou a rua com mangueira após. O ritual foi seguido em todas as ruas que foram tomadas pela água.

“A situação estava brava, a água entrou mais de um metro em casa. Não cheguei a sair, porque tenho um andar de cima, mas assim que a água desceu a gente já começou a limpar, porque senão o barro fica mais difícil de sair. Igual estava na rua tinha barro em casa, a gente teve que bater rodo para tirar”, comenta Ana Dias de Almeida, de 62 anos. “A minha tristeza é com as pessoas idosas que têm sequelas da hanseníase e tem que conviver com isso”, destaca.

Na Rua Silva Lima, uma das primeiras a receber a inundação, o barro era alto e o lixo era muito. Entulho, lixo, móveis quebrados, eletrodomésticos e até a louça de um banheiro se misturavam a sujeira no asfalto e calçadas. Um morador juntou a família toda para tentar limpar um pouco do que ficou para trás dentro de casa. “Encontramos lama e desespero. Tinha muito lixo e doenças já que essa lama é toda infectada. Perdemos dois guarda-roupas e encontramos garrafas e lixo”, comenta Emerson Martins Silva, de 33 anos.

Seguindo direto, os quintais das casas da Rua Ana Neri se misturaram às margens do rio Paraopeba e no ápice da inundação não era possível distinguir aonde um começava e o outro terminava: tudo era água. O resultado foi lama, muita lama. “Lá em casa a água subiu uns dois metros na parede e ficou uns 40 centímetros de lama. Sou sozinho para limpar porque só tem mulher, então eu tenho que limpar sozinho. Perdi muita coisa porque muitos móveis molhei com a chuva, sofá, cama, praticamente tudo”, Josenil Lucas, de 52 anos.

Nas Ruas Pio XII, Geraldo Madureira Ramos, dos Esportes e São Geraldo o cenário é o mesmo. Aonde se vai moradores se unem para limpar as residências, mesmo sabendo que a água pode voltar a subir. “A gente vai ficar em abrigo ainda por mais uns dias, até passar essa chuvarada. Porque corre o risco de chover de novo. Estamos lavando as paredes porque se não entrar água de novo fica bem mais fácil para a gente lavar e limpar”, afirma Maria José Campos, de 59 anos. A casa dela é literalmente vizinha de muro com o córrego Bandeirinhas e, portanto, foi a primeira da rua a ser inundada. “A água subiu demais,  tinha muito barro e tivemos que lavar tudo, até no telhado a gente teve que dar mangueirada”, comenta. Com o recuo da água o fornecimento de energia foi reestabelecido.

Membros da Paróquia Maria Mãe dos Pobres, do bairro Novo Amazonas, também estiveram pelo bairro distribuindo mantimentos para os moradores. Os produtos foram doados por membros da Comunidade São Sebastião, que também contribuíram com roupas e calçados, entregues à Casa Paroquial da Colônia.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Jorge Tocafundo
Vou providenciar algo e entregar na IBNCanaã pra tentar ajudar! Enquanto isto essa pinoia de prefeita inútil solta foguetes quase diariamente inaugurando ou comemorando não se sabe o que e não faz absolutamente nada pra ajudar os necessitados. claro, ela é do PT. Betim, não vote mais nesta inútil! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.