Estado de Minas - Acompanhe as últimas notícias sobre Minas Gerais, economia, política, nacional, internacional, ciência e tecnologia Você, Empreendedor

SIGA O EM

MODA/PLANEJAMENTO

Conhecimento do mercado e plano de negócios arrematam o estilo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 854802, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Jair Amaral/EM/D A Press', 'link': '', 'legenda': 'Em\xedlia S\xe2mara e Iara Mariana criaram a Iara Mari ainda na faculdade, mas com a proposta toda definida', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2015/05/24/649663/20150520182612844587a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 24/05/2015 06:10 / atualizado em 24/05/2015 09:39

Jair Amaral/EM/D A Press
Diferentemente do senso comum, entrar no mercado da moda não exige apenas estilo. Planejar nesse ramo é regra essencial para a sobrevivência do negócio. Cada vez mais competitivo e à mercê de consumidores mais exigentes, o segmento cobra passos precisos de quem quer entrar para que o que se espera seja alcançado. “As pessoas costumam achar que a moda é somente glamour, brilho e purpurina. Mas isso é 1%. Para se chegar até lá, esses profissionais se informaram e planejaram bastante”, ensina a consultora de marca e professora das disciplinas de gestão e negócios na área de moda da Faculdade UNA Jane Leroy.

Como qualquer mercado, é preciso conhecer a moda para entrar nela. “É o único segmento de produtos que exige uma troca constante no tipo de produção. Isso gera uma especificidade maior do que produzir, por exemplo, um iogurte”, compara Jane. Isso porque alguns setores da moda, como a área do vestuário – mais procurada por quem quer entrar no ramo –, geram uma demanda de gestão muito específica. “É um mercado que envolve desde a produção de matéria-prima até o varejo”, diz Jane.

Na visão da especialista, quem quer se candidatar a empreendedor no ramo precisa entender do negócio. “Aí, entra a busca por formação e informação. Ele tem que entender a fundo para evitar uma escorregada no decorrer da vida útil do negócio”, afirma. Para a qualificação, ela cita desde cursos de graduação até cursos técnicos. “Hoje, o mercado é muito competitivo. A moda não é um negócio simples, existem especificidades grandes justamente por causa do dinamismo dela”, diz.

Isso, as sócias Iara Mariana Pereira, de 23 anos, e Emília Sâmara, de 24, estão aprendendo a cada dia. Há exatamente um ano, as duas criaram a empresa Iara Mari, de vestuário feminino casual e elegante. “Começamos a criar a nossa empresa dentro da faculdade de moda. Na época, fizemos um plano de negócio e o colocamos em prática. A princípio, fazíamos vestido de festa por encomenda, mas começou a ficar apertado e começamos a pensar em algo maior. No começo, íamos trabalhar somente com o varejo, mas fizemos um novo planejamento e passamos para o atacado e varejo”, comenta Iara, dizendo que, com essa mudança, elas conseguiram ter um resultado mais positivo para o negócio.

Ela conta que, nesse pequeno tempo de empresa, durante o qual tiveram que desembolsar R$ 20 mil como investimento, elas tiveram muitas dificuldades, incluindo prejuízos. “A maior dificuldade foi com a mão de obra para as nossas criações. Tínhamos indicações de pessoas na costura e modelagem, mas tivemos prejuízos. Então, passamos a terceirizar o serviço.” As duas criaram, até o momento, duas coleções e começam a terceira. “Antes de começarmos, pesquisamos nosso público-alvo, fizemos um planejamento completo, o que foi indispensável para conseguirmos entrar no negócio com os pés no chão. Com esse plano, pudemos conhecer os pontos fortes e fracos do mercado e direcionar o nosso produto pelas condições do mercado. Devido a isso, nosso negócio está crescendo”, afirma Iara.

Segundo Jane, a chave para esse crescimento está no bom planejamento. “O Brasil é um dos países com maior número de empreendedores individuais, há muito apoio de órgãos que ajudam a tornar o negócio menos arriscado”, diz. Segundo ela, 80% de seus alunos na UNA entram na faculdade querendo ter algo próprio. “Mas sempre digo a eles da importância de criar um plano de negócio. Há diversas formas de fazer isso, que vão desde consultorias especializadas até sites que ajudam nesse planejamento.” O site do Sebrae é um deles.

PROJETO NO PAPEL - Veja algumas dicas para elaborar um plano de negócios
O que é:
O Plano de negócio é o instrumento ideal para traçar um retrato fiel do mercado, do produto e das atitudes do empreendedor, o que propicia segurança para quem quer iniciar uma empresa com maiores condições de êxito ou mesmo ampliar ou promover inovação em seu negócio

Procure mecionar:
1) o que é o negócio;
2) quais os principais produtos e/ou serviços;
3)quem serão seus principais clientes;
4) onde será localizada a empresa;
5) o montante de capital a ser investido;
6) qual será o faturamento mensal;
7) que lucro espera obter do negócio;
8) em quanto tempo espera que o capital investido retorne

Informe:
Os dados dos responsáveis pela administração do negócio. Faça também uma breve apresentação de seu perfil

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600