Estado de Minas - Acompanhe as últimas notícias sobre Minas Gerais, economia, política, nacional, internacional, ciência e tecnologia Você, Empreendedor

SIGA O EM

Redes são opção de negócio para investimento

Franquias que atuam no segmento faturam R$ 3,58 bilhões

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 851531, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Cristina Horta/EM/D.A Press', 'link': '', 'legenda': 'Diretora regional da associa\xe7\xe3o das franquias, Danyelle Van Straten destaca a padroniza\xe7\xe3o do setor como vantagem', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2015/05/17/646779/20150513102357338800a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 17/05/2015 06:07 / atualizado em 18/05/2015 10:52

Jorge Macedo - especial para o EM

Cristina Horta/EM/D.A Press
O mercado de franquias pode ser uma boa opção para quem deseja abrir um ponto de vendas especializado em móveis e decoração. Pelo menos é o que mostram alguns indicadores da Associação Brasileira de Franchising (ABF): o segmento de mobiliário e peças decorativas fechou 2014 com faturamento de R$ 3,585 bilhões no país. O número de franqueados no ramo subiu 6% de 2013 para 2014. No ano passado, o setor de franquia como um todo faturou R$ 127,3 bilhões no Brasil.

“As pequenas empresas estão procurando se profissionalizar, e o franchising é uma excelente ferramenta para isso, já que uma das estratégias do setor é a padronização. Acaba sendo, portanto, uma forma de profissionalizar os processos”, afirma Danyelle van Straten, diretora-regional da entidade.

Em Minas, uma das franqueadoras é a MAC Móveis, com sede em Uberaba, no Triângulo Mineiro. Bruno Dimas, um ex-advogado que decidiu empreender no varejo de mobílias, assumiu uma franquia da empresa no Bairro Santa Efigênia, na Região Centro-sul de Belo Horizonte.

“Uma das vantagens é que só a loja pode oferecer produtos da MAC na região. Trata-se de exclusividade. Outro ponto positivo é o suporte no treinamento de funcionários”, conta o rapaz. Mais uma vantagem, acrescenta Danyelle, é baseada num conceito curioso: “O pequeno que fortalece o grande e o grande que fortalece o pequeno”.

Ela própria traduz a frase: “Brincamos que o franchising é o último setor a sofrer na crise, porque os franqueados são os últimos a entrar e os primeiros a sair (da crise). O mercado permite que uma marca tenha capilaridade. A franqueadora desenvolve soluções para toda a rede, seja de franquias dentro de grande eixo econômico ou fora dele. Em outras palavras, é o pequeno fortalecendo o grande, e o grande fortalecendo o pequeno”.

ORIENTAÇÕES O empreendedor que deseja apostar no franchising deve seguir algumas orientações básicas. A primeira delas é participar de cursos oferecidos por instituições de apoio ao empreendedorismo. A ABF e o Sebrae programaram eventos em junho (Uberlândia e Uberaba), em julho (Belo Horizonte e Varginha), em setembro (BH e Juiz de Fora) e em novembro (BH e Montes Claros).

Os cursos duram um dia, e dúvidas podem ser esclarecidas nos sites www.sebraemg.com.br e www.abf.com.br. É essencial, destacam especialistas, que o futuro empresário se informe sobre a legislação que trata do tema, sobretudo a Lei 8.955. “Também é importante conversar com franqueados e ex-franqueados para buscar informações a respeito da franqueadora. É como um casamento: ambas as partes têm que se conhecer muito bem para fechar o contrato”, recomenda Danyelle.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600