Estado de Minas - Acompanhe as últimas notícias sobre Minas Gerais, economia, política, nacional, internacional, ciência e tecnologia Mundo Pet

SIGA O EM

Nada de agressividade

Atitude inadequada do cão pode estar associada a dor e frustração

Ambiente e a forma de criação também podem determinar como ele reage e se comporta

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/05/2015 06:15 / atualizado em 09/05/2015 14:39

Carolina Cotta

Leandro Couri/EM/D.A Press-26/3/14
Cães agressivos são um problema, mas esse comportamento é reversível ou pode, pelo menos, ser amenizado com treinamento. Imprescindível mesmo é que o dono tome medidas para não colocar outras pessoas, animais e o próprio cão em risco.

Vários fatores levam à agressividade: dor; falta de socialização, principalmente nos três primeiros meses de vida; questões ligadas ao instinto de sobrevivência, como disputas por alimento e território; assim como a frustração por falta de atividade física ou confinamento em locais inadequados.

Segundo o educador canino Caio Mansur, os cães foram selecionados geneticamente de acordo com características específicas e para cumprir determinadas funções. Mas o ambiente e a forma de criação também podem determinar como ele reage e se comporta. “É o caso do cachorro que passou a vida toda preso no fundo do quintal e acaba apresentando um comportamento agressivo por falta de socialização.”

Atenção

Mas quando essa agressividade é algo normal? E quando deve preocupar? Sinais como o rosnado, o mostrar dos dentes, o dorso arrepiado podem indicar agressividade, além da mordida. “É importante que o dono observe os sinais de apaziguamento que o cão emite antes de mostrar o comportamento agressivo, como lamber o lábio ou desviar o olhar, a fim de evitar as situações que incomodem o cão e que possam levá-lo a agir com agressividade. A prevenção ainda é a melhor opção.”

Um cão bem socializado e exposto a estímulos variados no início da vida é menos suscetível à agressividade. Mas, se ele já dá algum sinal, é bom procurar um especialista, pois a interferência humana de forma equivocada pode agravar a situação. “O treinamento positivo, com uso de recompensa e reforços, é o mais indicado.”
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Kika
Kika - 09 de Maio às 10:56
É o caso de mandar pra uma ffábrica de sab%u0103o, eentã.