SIGA O EM
 col-xs-12

Veteranos e novatos no pódio

Ranking das 10 mais prestigiadas tem nomes que já se consagraram na lista, mas pesquisa traz surpresas todo ano e apresenta marcas cujos desempenhos estão em franca ascensão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 769315, 'arquivo_grande': None, 'credito': 'Ramon Lisboa/EM/D.A Press', 'link': '', 'legenda': 'O diretor de ferrosos Sudeste da mineradora Vale, Ant\xf4nio Padovezi, que aposta na coer\xeancia', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2014/12/21/601493/20141221100154399271a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}, {'id_foto': 769316, 'arquivo_grande': None, 'credito': 'Itamb\xe9/Divulga\xe7\xe3o', 'link': '', 'legenda': 'O gerente geral da Itamb\xe9, Martim Ibrahim, valoriza o relacionamento com o consumidor', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2014/12/21/601493/20141221100345390343u.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 21/12/2014 10:03

Ramon Lisboa/EM/D.A Press

O estudo que revela as marcas mais prestigiadas de Minas avalia empresas com sede no estado e também aquelas grandes corporações instaladas fora dos limites territoriais de Minas. Ao todo, 10 empresas das 87 pesquisadas serão listadas em dois rankings principais. Veja ao lado as empresas que se destacaram no ano passado. Além dos rankings gerais, o estudo também destaca as empresas que obtiveram maior reputação em seus segmentos de atuação, levando em conta seis tópicos principais: qualidade do produto e serviço, admiração e confiança, compromisso social e ambiental, inovação, histórico e evolução e ambiente de trabalho.

Do total de marcas pesquisadas, nove aparecem consecutivamente no “Top Ten” (as 10 mais prestigiadas) dos dois anos: Nestlé, Vale, Banco do Brasil, Fiat, Correios, Volkswagen, Caixa, Honda e Sadia. As marcas Itaú e Itambé se revezaram e entraram uma vez no ranking. Do total de marcas pesquisadas com sede em Minas, oito aparecem seguidamente no “Top Ten” nos últimos quatro anos de pesquisa: Fiat, Cemig, Usiminas, Itambé, Copasa, Drogaria Araújo, Unimed e Gerdau. A empresa Votorantim entrou três vezes no ranking e o Café 3 Corações, PUC Minas e Hermes Pardini também foram destacados uma vez no ranking geral das empresas com sede no estado.

Com 72 anos, a Vale, que nasceu em Itabira, no interior de Minas, está implantando o maior projeto da história da indústria do minério de ferro no interior do Pará. “Passamos por muitos governos, políticas econômicas, revezes políticos e muitas mudanças internas. Mas a empresa tem uma estrutura sólida, que se manteve firme em seus objetivos de crescimento para ser uma das líderes mundiais em mineração. A Vale é hoje uma empresa da qual o brasileiro se orgulha”, diz Antônio Padovezi, diretor de ferrosos da companhia em Minas.

Para o diretor da Vale, a reputação é um dos principais ativos de uma empresa. “Sabemos que ela é construída a cada dia e, quanto mais sólida for, menor a chance de ser arranhada. Ter uma boa reputação nos diferencia entre os demais e garante a confiança dos nossos públicos, sejam eles comunidade, investidores, fornecedores ou clientes”, diz o executivo. Com atuação em cidades de pequeno porte e no mercado internacional, Padovezi comenta também a relação da empresa com esses diferentes públicos. “A Vale preza pela proximidade com seus públicos. Somos parte da sociedade, nos posicionamos como um vizinho aberto ao diálogo. No mercado internacional, nos posicionamos frente a frente com grandes empresas de diversos países e temos diferenciais importantes, como a qualidade do nosso produto.” Nos primeiros nove meses do ano, a Vale produziu 236,2 milhões de toneladas de minério de ferro, um recorde contra os 232,2 milhões obtidos em período correspondente de 2008. Nos nove primeiros meses do ano, a companhia investiu US$ 6,8 bilhões em Minas.

Com mais de 65 anos no mercado, a mineira Itambé Alimentos transforma diariamente 3,5 milhões de litros de leite em um portfólio completo de derivados lácteos. São mais de 100 produtos, entre leites, iogurtes, requeijões e doces. Considerada uma das maiores empresas de laticínios do país, a Itambé conta com mais de 7 mil fornecedores e 3,3 mil funcionários diretos.

Itambé/Divulgação

RELACIONAMENTO Martim Ibrahim, gerente geral de marketing da empresa, considera que o sucesso e reputação de uma marca estão extremamente ligados ao relacionamento que a empresa mantém com seus consumidores. “A Itambé sempre procura orientar suas ações com foco no consumidor, entendendo seus desejos e anseios para desenvolver produtos de alta qualidade.” Segundo o executivo, as ações ocorrem em um universo onde as empresas atuam com número cada vez maior de concorrentes e, por isso, devem ser muito ágeis.

Com cinco unidades industriais, sendo quatro em Minas (Pará de Minas, Sete Lagoas, Guanhães e Uberlândia) e uma em Goiás, o gerente de marketing Martim Ibrahim destaca ainda a boa relação com as comunidades locais e a rede de distribuição da Itambé, que atinge todo o interior de Minas.

Criada em 1946 em Santa Catarina, a Sadia atingiu, em 2001, o nível 1 de governança corporativa na Bolsa de Valores de São Paulo. Em 2009, a empresa associou-se à Perdigão, dando origem à BRF. Hoje, a Sadia compõe o portfólio de marcas da companhia, uma das maiores do setor alimentício do país. A BRF, detentora da marca Sadia, uma das marcas listadas entre as 10 mais prestigiadas de Minas, reforçou, por meio de sua assessoria, que estar entre as marcas de maior credibilidade é uma satisfação para a empresa. “Esse histórico de reconhecimento mostra que a empresa tem feito um trabalho de posicionamento de suas marcas, que se tornaram símbolo de inovação e, em muitos casos, sinônimo de categoria.”

Desafio é se manter no topo

Sustentar a credibilidade alcançada é um desafio gigantesco para as corporações. Não basta alcançar o prestígio junto ao seu público no mercado interno e nos mercados internacionais. É preciso manter a reputação. Para o diretor de ferrosos da Vale em Minas, Antônio Padovezi, a coerência entre discurso e prática é um dos itens mais importantes para essa conquista. “A compatibilidade entre o que falamos e o que fazemos”, explica. Segundo o executivo, nenhuma marca se sustenta se não tiver uma base sólida. “Como somos uma mineradora, não temos consumidor final. Nossa base é a forma como desenvolvemos nossas atividades e, principalmente, o respeito que temos em relação ao meio ambiente e às pessoas, atitude essa que, inclusive, expressa nossa missão.”

Marcelo Moraes, especialista em marketing e consultor do grupo Rota, aponta que a reputação é um ativo tão precioso que, em alguns casos, a marca chega a superar o valor da própria empresa. Ele lembra o cuidado das empresas em associar sempre à sua imagem pessoas e ações que sempre inspiram credibilidade. Para a marca Sadia, o dinamismo na criação de novos produtos faz parte do processo de manutenção da satisfação de clientes. “Nossos lançamentos em produtos e em campanhas têm como objetivo aproximar ainda mais o consumidor das nossas marcas”, diz a empresa em nota.

O gerente geral de marketing da Itambé, Martim Ibrahim, reforça que a marca construiu, durante sua história, uma rede de distribuição que entrega produtos tanto na capital quanto no interior, o que contribui para o relacionamento com públicos de todo o estado. “Além disso, nas cidades em que nossas fábricas estão localizadas, temos uma excelente relação com a comunidade, especialmente em função dos empregos gerados”, destacou.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600