SIGA O EM
 col-xs-12

Quanto pesa a credibilidade

Passar segurança e ter a confiança do consumidor chega a ter valor maior que o próprio patrimônio da empresa, para especialistas. Canal aberto com o cliente é uma estratégia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 769312, 'arquivo_grande': None, 'credito': 'Arquivo/Copasa ', 'link': '', 'legenda': 'Copasa mant\xe9m central de opera\xe7\xf5es para conseguir atender \xe0s demandas com rapidez', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2014/12/21/601490/20141221095259636738e.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 21/12/2014 09:54

Arquivo/Copasa

A atividade postal no Brasil tem uma tradição de 350 anos. No entanto, a marca Correios foi criada em 1970. Já a Copasa nasceu em 1963 e recebeu, em 1974, o nome que carrega até hoje. As duas empresas, prestadoras de serviços essenciais, estão entre os destaques do estudo Marcas Mais Prestigiadas de Minas. Na edição do ano passado, as duas empresas também estavam entre as 10 companhias mais prestigiadas do estado e também fazem parte das 87 corporações pesquisadas para a edição de 2014 no estudo desenvolvido pelo grupo Troiano Branding.

A reputação das empresas ganha cada vez maior valor e muitas vezes a credibilidade pesa mais que o patrimônio. Marco Antônio Machado, especialista em marketing e estratégia e professor do Ibmec, aponta que no caso dos serviços essenciais, sejam eles desenvolvidos em um ambiente de concorrência ou de monopólio, trazem para o consumidor a ideia da segurança e confiança, fazendo com que a reputação da marca seja decisiva. “Para ter segurança, o consumidor, seja ele empresas ,ou pessoa física, se dispõe até a pagar mais. É como se a marca funcionasse como um aval, uma promessa de garantia do serviço”, alerta o especialista. Segundo ele, a reputação está ligada à qualidade do serviço prestado e à manutenção de altos índices de confiança.

Pedro Amengol, diretor dos Correios em Minas, ressalta que a experiência e a história da prestação do serviço contribuíram para a eficiência e qualidade, rendendo à empresa, ao longo do tempo, a confiança da população brasileira. “Essa história de eficiência, credibilidade, capilaridade e acessibilidade a todos os públicos leva a marca Correios a constar entre as mais prestigiadas não apenas em Minas Gerais, mas em todo o país, já que a companhia atende desde os grandes centros até localidades mais remotas”, reforça o executivo.

ESTRATÉGIA
Manter a confiança do consumidor é uma das estratégias da Copasa, que está presente em cerca de 70% dos municípios mineiros. “Trabalhamos com um serviço essencial, administrando a água, um recurso que está cada vez mais escasso. Por isso, lançamos antes mesmos das redes sociais, o conceito do cliente investigador”, diz Henrique Bandeira de Melo, superintendente de comunicação da Copasa, que destaca ainda o planejamento estratégico da companhia para combater as perdas de água, inovação tecnológica e melhoria do relacionamento com seus clientes.
Segundo o executivo, os clientes fiscalizam a empresa em tempo real e a Copasa tem como objetivo responder às demandas rapidamente. “Dependendo da relevância do tema, ele chega a ser tratado pelo presidente da instituição ou até pelo governador do estado”, informa. Bandeira de Melo destaca que a reputação é o ativo número um da empresa e por isso a meta é ter com o consumidor relação transparente. “Temos um serviço onde o consumidor pode escolher por qual canal ele deseja ser informado, por exemplo, sobre transtornos em sua rua.”

Conquistar índices de credibilidade e prestígio junto aos diversos públicos e manter a reputação é um desafio para as empresas. Para Pedro Amengol, o cenário de mudanças tecnológicas é um dos principais desafios para os Correios e por isso a empresa passou a diversificar suas atividades, investindo também na qualidade operacional.
Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600