SIGA O EM
 col-xs-12

Caixa aposta na vocação inicial e busca consolidar a imagem de ser mais do que um banco

Marca é reconhecida pelo crédito imobiliário e caderneta de poupança

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/11/2013 15:57 / atualizado em 14/11/2013 16:48

A Caixa Econômica Federal, hoje simplesmente Caixa, nasceu com vocação para banco social e, ao longo de 152 anos, os números são o principal sinal de fidelidade ao seu posicionamento de origem, cuja força de mercado está especialmente no financiamento da casa própria e na poupança. A instituição abocanha 69,1% do mercado de crédito habitacional do país. Só no primeiro semestre de 2013, esta carteira atingiu o saldo de R$ 238,5 bilhões, expansão de 34,6% nos últimos 12 meses. Já a poupança atingiu R$ 189,7 bilhões de saldo, crescimento de 17,2%. No mesmo período, o lucro líquido registrado foi de R$ 3,1 bilhões, apresentando alta de 10,3% se comparado ao mesmo período do ano passado.

Por estas e outras, a Caixa conquistou, no ranking nacional, o sexto lugar em prestígio e reputação entre os mineiros, além de ser a primeira empresa de seu segmento (bancos). Está presente em praticamente todos os itens avaliados: é a quarta empresa entre as 10 melhores para investir e em responsabilidade social e ambiental; a quinta em reconhecimento pela história e evolução; a sexta em ambiente de trabalho; a oitava entre as mais admiradas e confiáveis e também entre as reconhecidas em inovação. Figura, ainda, na 10ª posição entre as melhores em qualidade de produtos e serviços.

O banco conta com mais de 93 mil empregados, sendo 9.953 em Minas Gerais. Segundo o superintendente regional da Caixa, Ronaldo Roggini, o ponto- chave para a identificação do público com a empresa é a confiança. “O mineiro preza muito este relacionamento, a segurança, a confiança, e a Caixa transmite muito isso ao cliente. Esse é o nosso diferencial”, explica.

PATROCÍNIOS

A Caixa é um banco 100% público, com atuação nacional. Sua marca foi também construída no dia a dia das loterias e com base no incentivo à cultura e ao esporte. Em 2013, por exemplo, a empresa intensificou as ações no marketing esportivo, patrocinando times de futebol e o Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. Em Minas, negocia com o Atlético e com o Cruzeiro. A instituição também reforçou o patrocínio ao esporte paralímpico.

O gerente nacional de Publicidade e Propaganda, Wolmar Vieira de Aguiar, destaca que a empresa trabalha com ações diferenciadas, que vão do financiamento de obras de saneamento e infraestrutura até o incentivo à cultura. “Nossas ações de publicidade de abrangência nacional fortalecem essa parceria da Caixa com toda a sociedade brasileira. Por isso, somos mais que um banco. Minas Gerais tem um papel fundamental, pela relevância no cenário econômico brasileiro, pelo grande número de municípios e pelo poder de consumo da sua população”, explica.

No reposicionamento da marca em 2012, a Caixa reforçou o conceito que a apresenta não apenas como instituição financeira. Nas campanhas publicitárias, o slogan “a vida pede mais que um banco” traduz a definição de abordagem junto ao público. Esse compromisso aparece em números. No último semestre, a conquista de 3,6 milhões de novos clientes refletiu no total das captações, que apresentou saldo de R$ 543,3 bilhões em junho. Nesse período, foram abertas 223 novas agências e postos de atendimento, totalizando 63,7 mil pontos. A iniciativa é parte do processo de expansão e melhoria dos canais de atendimento, iniciado em 2012 e que prevê a abertura de 2 mil novas agências. Em Minas, foram abertas 27 em 2013.
Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600