SIGA O EM
 col-xs-12

Maior produtora mundial de minério de ferro, Vale consolida imagem positiva em Minas

empresa garantiu primeiro lugar no ranking geral das marcas mais prestigiadas no Estado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/11/2013 15:42 / atualizado em 14/11/2013 16:50

Eny Miranda/Divulgação

Uma ascensão espetacular. A primeiríssima colocada no ranking geral das marcas mais prestigiadas em Minas saltou do oitavo lugar, no ano passado, direto para o topo da lista. Como se não bastasse, é também a líder em seu segmento e em seis outros quesistos analisados pelos mineiros, entre eles as empresas “mais admiradas e confiáveis”, “as melhores para investir” e “as melhores para trabalhar”. O sucesso absoluto foi conquistado pela Vale, a maior produtora mundial de minério de ferro e pelotas e a segunda maior de níquel.

Parte desse reconhecimento certamente se explica pelo forte vínculo que a empresa tem com Minas Gerais – aqui fundada em junho de 1942 –, tanto por meio da geração de riquezas e divisas quanto pela divulgação de informações sobre a atividade minerária que desenvolve, envolvendo as comunidades em que atua. A gerente de Comunicação Regional MG/BA, Luciene Cristina, destaca os investimentos feitos em ações de aproximação entre a Vale e os públicos com os quais a empresa se relaciona, por meio de estratégias direcionadas. “A companhia busca promover o conhecimento sobre a atividade de mineração e as práticas adotadas, mostrando como trabalha, respeita o meio ambiente e as pessoas e como procura estar integrada à sociedade”, assinala.

VALORES SEMELHANTES

De acordo com Luciene, o primeiro passo dado pela empresa foi trabalhar conhecimento com o público interno. “Já nas comunidades onde estamos presentes fomos além de estampar marcas em eventos, patrocínios e projetos. Criamos ações para que as pessoas pudessem se relacionar com a empresa”, diz ela. No que se refere à publicidade, uma das formas adotadas foi ter como protagonistas ‘personagens’ das comunidades nas campanhas da mineradora. São pessoas que a empresa identificou com os seus próprios valores. “Deixou de ser apenas o olhar da Vale para uma determinada situação abordada. Incluímos o olhar do outro em nossos projetos, para que ele nos ajude na construção da marca. São os vizinhos, os envolvidos nos programas da empresa, os empregados ou parceiros da organização que relatam nossas práticas”, ressalta Luciene.

A Vale tem cerca de 30 funcionários na área de comunicação em Minas, envolvidos diretamente no processo de construção de marca. “No entanto, como consideramos um processo de certa forma compartilhado, entendemos que essa função abrange todos os empregados do estado, e aí já são milhares de pessoas. Se levarmos em consideração os familiares dos empregados, os nossos vizinhos, os parceiros e outros públicos com os quais mantemos relacionamento, esse número cresce ainda mais, tornando-se um movimento permanente e dinâmico”, assinala Luciene.

ATENTA À REDE


As ações de comunicação na internet/mídias sociais também merecem atenção especial. A Vale tem uma gerência corporativa de mídias digitais baseada no Rio de Janeiro, que trabalha a comunicação da empresa na internet. A presença da Vale no ambiente virtual vem crescendo, tanto no que se refere a espaços publicitários quanto em seus perfis oficiais nas plataformas Facebook, YouTube, LinkedIn e Instagram, que já somam mais de meio milhão de seguidores.

Primeiro lugar na pesquisa entre “as melhores para trabalhar”, a companhia investiu US$ 63,7 milhões em educação no Brasil em 2012. Ainda no ano passado, reduziu o déficit educacional entre seus empregados próprios no país em 14%. Destaque também entre as 10 empresas reconhecidas em inovação (no segundo lugar), a Vale investe em projetos de pesquisa. Desde a sua criação, em 2009, o Instituto Tecnológico Vale apoiou cerca de 160 projetos, que envolvem a participação de mais de 800 bolsistas.

Ações que atraem investidores


A Vale foi apontada entre as marcas mais prestigiadas de Minas Gerais” como a melhor empresa para investir. Não é para menos.No primeiro semestre deste ano, a Vale investiu US$ 4,99 bilhões em Minas Gerais. Esse aporte contempla áreas como minério de ferro, logística, energia, pelotização, fertilizantes e pesquisa mineral. Sua produção de minério de ferro no estado, de janeiro a junho deste ano, foi de 94,3 milhões de toneladas, incluindo a produção da Samarco atribuível à companhia. O Sistema Sudeste, que compreende os complexos operacionais de Itabira, Mariana e Minas Centrais, produziu 51,5 milhões de toneladas no mesmo período. Já o Sistema Sul, composto pelos complexos Paraopeba, Vargem Grande e Minas Itabirito, produziu 37,5 milhões.

Os investimentos socioambientais nos primeiros seis meses de 2013 totalizam US$ 175,7 milhões, aumento de 29% na comparação com o mesmo período de 2012. Empresa de capital aberto, com sede no Rio de Janeiro e presença global, as ações da Vale são negociadas nas bolsas de São Paulo, Nova York, Hong Kong, Paris e Madri.

QUALIDADE DE VIDA

Se os números de produção e aporte de capital da Vale impressionam, as ações de responsabilidade social e contribuição para o bem-estar coletivo também reforçam sua imagem de excelência e compromisso com os brasileiros. Ao longo do ano passado, mais de 6 mil ações voluntárias foram realizadas, beneficiando 31 mil pessoas no país. Em Minas, foram cerca de 100 ações paralelas. As iniciativas são voltadas para as áreas de educação, cultura, esportes, saúde, meio ambiente, empreendedorismo e qualidade de vida.

Um exemplo foi o apoio às vítimas das chuvas que atingiram o estado em 2012. Além de ações específicas dos voluntários nas cidades onde a empresa atua, a Vale criou uma campanha para arrecadar fundos. A cada real doado a empresa doava o dobro, resultando na arrecadação de R$ 350 mil. Os recursos foram repassados a famílias atingidas pelas enchentes.

VOLUNTÁRIOS

O Programa de Voluntariado da Vale, gerido pela Diretoria de Relações com Comunidades, foi criado em 2004. Desde então, os empregados da empresa, que já demonstravam sua vocação solidária, atuando individualmente em suas comunidades, puderam potencializar suas ações. A iniciativa da empresa valoriza, estimula e organiza o voluntariado corporativo em diversos estados brasileiros.

Responsabilidade com os impactos


Primeira colocada no ranking dasmelhores empresas no quesito “responsabilidade social e ambiental” e mais lembrada pelos mineiros em seu segmento de atuação (mineração), a Vale garante que reforça suas ações para reduzir ao máximo os impactos de suas atividades. Em 2012, investiu US$ 1,342 bilhão em ações socioambientais, sendo US$ 1,025 bilhão (76%) em dispêndios ambientais e US$ 317,2 milhões (24%) em ações sociais.

A empresa foi reconhecida como uma das 100 mais sustentáveis do mundo, integrando o ranking Global 100, organizado pela instituição canadense Corporate Knig hts nos quesitos uso de energia, emissão de CO2, inovação e saúde e segurança. No ‘Relatório de Sustentabilidade 2012’ , a mineradora apresenta seu desempenho nas dimensões econômica, ambiental e social, seguindo a metodologia da Global Reporting Initiative (GRI). Foram reportados 86 indicadores. Entre eles, os avanços em relação ao uso eficiente da água nas operações.

No cômputo geral, o índice médio de recirculação foi de 77%, representando aumento de sete pontos percentuais em relação a 2011. Com isso, a Vale deixou de captar 1,227 bilhão de metros cúbicos de água de fontes naturais, o equivalente a cerca de duas vezes o consumo anual da cidade do Rio de Janeiro.

BALANÇO HÍDRICO


Parte desse resultado é fruto de investimentos em tecnologia voltada para o desenvolvimento de programas e ações focadas na redução da demanda e do consumo de água. Só em 2012 foram investidos US$ 125,9 milhões na gestão de recursos hídricos. Na Mina do Sossego, localizada em Canaã dos Carajás, no Pará, a recirculação de água na usina de beneficiamento de cobre chega a 99%.

Já no Complexo Minerador de Carajás, em Parauapebas, Sudeste paraense, houve queda de 24% na captação graças às mudanças no processo de peneiramento do minério de ferro, que passou a ser feito a partir de sua umidade natural, eliminando a necessidade de água nova. Carajás representa cerca de 5% de toda a captação de água da mineradora.

A Vale atua ainda nos comitês de bacias hidrográficas (CBH), colegiados onde são discutidos e priorizados os usos da água nas bacias. Entre outros, participa dos CBHs dos rios Paraopeba, Velhas, Doce, Piranga, Piracicaba e Santo Antônio, todos em Minas. Tem representação também em fóruns de discussões técnicas no Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) e no Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH).

As ações da empresa para a conservação do verde também contribuíram para que fosse lembrada na pesquisa como uma das mais comprometidas com a conservação ambiental. A Vale protege ou ajuda a proteger 13,7 mil quilômetros quadrados, uma área cerca de nove vezes maior que a cidade de São Paulo. As áreas protegidas são quase três vezes maiores que o total das unidades operacionais da empresa (4,7 mil quilômetros quadrados).

Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600