SIGA O EM
 col-xs-12

Pesquisa revela preferência dos mineiros em relação às empresas marcas atuantes no estado

Vale desponta no ranking estadual, seguida pela Nestlé, Correios, Volkswagen e Fiat

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/11/2013 15:35 / atualizado em 14/11/2013 16:52

O resultado da pesquisa “As marcas de maior prestígio e reputação em Minas” apresenta dois olhares: no primeiro, a competição de todas as marcas entre si, em nível nacional; no segundo, o embate envolvendo apenas as marcas de empresas sediadas no estado. Na mais acirrada disputa, no panorama nacional, a Vale encabeça a lista das campeãs, subindo sete posições em relação ao ranking de 2012, um feito e tanto. Nessa mesma listagem surge a Itambé, que não estava presente no ano passado. Já na lista mais “caseira”, a Fiat segue a sua rota de liderança verificada desde a primeira edição do estudo, em 2010.

Não é à toa que a Vale foi a escolhida pelos mineiros como a vencedora deste ano. Apesar do processo de internacionalização verificado nos últimos anos, a maior produtora de minério de ferro do mundo e segunda de níquel mantém fortes laços com Minas Gerais, seu local de berço e origem. “A Vale tem um papel muito relevante no orgulho de nossa sociedade, na geração de emprego e de receitas para o nosso país. Tudo isso é acompanhado, direta ou indiretamente, pelos indivíduos que respondem à pesquisa. Seja no Estado de Minas ou em nas outras inúmeras mídias e redes sociais, a Vale é uma figura extremamente visível a todos”, analisa o presidente do Grupo Troiano de Branding, Jaime Troiano.

Para Levi Carneiro, sócio diretor da Ideia Comunicação Empresarial e associado do Grupo Troiano de Branding, o recente aumento no volume de compras da mineradora no estado, a crescente presença em projetos culturais e de empregabilidade e reflexos da nova gestão, iniciada com a troca da presidência em 2011, são pontos que contribuem para a melhoria do relacionamento da Vale com o público mineiro.

DISPUTA ACIRRADA

 

A Nestlé, líder na lista do ano passado, é a segunda colocada no ranking de 2013, seguida por Correios, Volkswagen e Fiat. Esta última pela primeira vez não é a marca do setor de veículos com mais prestígio no ranking. “Em outros estudos do mesmo gênero, que fazemos em âmbito nacional há muitos anos, a Volkswagen sempre esteve à frente da Fiat. Apesar da liderança de mercado da montadora italiana, a concorrente alemã tem uma história de presença e conexão com nosso mercado muito mais longa. Isso pesa na consciência coletiva da sociedade”, explica Troiano.

Em sexto e sétimo lugares aparecem dois bancos estatais, Caixa e Banco do Brasil, que perderam posição em 2013, o que para os realizadores da pesquisa não deve ser encarado sob a perspectiva de queda no prestígio das marcas, mas de um acirramento na disputa. Na oitava colocação está a Honda, confirmando a forte presença das marcas de veículo no ranking, justificada, em parte, pelo incentivo à indústria automobilística e ao aumento na venda de carros, segundo Levi Carneiro.

A lista das vencedoras revela ainda a predominância de marcas não só do segmento de veículos, mas também de alimentos e serviços bancários, explicada pela proximidade que esses setores têm com o dia a dia das pessoas. “Este é um trabalho em que a avaliação é feita pelos indivíduos não obrigatoriamente no papel de consumidores. Porém, não podemos nos esquecer de que a proximidade deles com as empresas pesa bastante. Aliás, isso mostra com mais ênfase como a conquista da Vale é expressiva”, destaca o presidente do Grupo Troiano de Branding.

IMPACTO

 

Diferentemente do ano passado, quando a Fiat era a única representante mineira na lista nacional, o ranking de 2013 conta com mais uma corporação nascida e sediada em Minas Gerais. Marcada pela tradição no estado e pela qualidade reconhecida de seus produtos, a Itambé, uma das maiores organizações do país no setor lácteo, foi a marca do Top 10 que registrou o maior salto em comparação à colocação de 2012, saindo da 19ª para a nona posição. “Além de sua longa história e presença no mercado, a Itambé se integrou recentemente à Vigor, um poderoso player em alimentos. Normalmente, essas movimentações têm impacto em nosso ranking, como foi neste caso”, justifica Troiano.

Outra gigante do setor alimentício, a Sadia fecha a lista das 10 marcas mais prestigiadas em Minas, confirmando a teoria dos especialistas em branding de que reputação se constrói ao longo dos anos, o que favorece a manutenção do ranking ano após ano, sem grandes surpresas. Quando comparadas as marcas presentes na lista das 10 primeiras marcas de 2013 e 2012, a primeira apenas se diferencia da segunda devido à entrada da Itambé e a consequente saída do Itaú. “A reputação corporativa, salvo grandes e profundas mudanças repentinas na vida de uma organização, é um traço de identidade com grande ‘inércia’ e, por isso, pode oscilar, mas poucas vezes altera-se radicalmente. Nos estudos nacionais regulares que fazemos, observamos que em torno de 15 marcas estão sempre estado entre as 20 primeiras ao longo dos últimos sete anos”, exemplifica Jaime Troiano.

As mineiras eleitas

 

Os mineiros revalidaram suas preferências no ranking que destaca as 10 marcas de empresas com sede no estado, extraído da classificação final entre as 72 que participaram da disputa. Considerado um dos mais exigentes quando se trata de avaliação de marcas, o público mineiro escolheu a Fiat e, na sequência, a Itambé, como as vencedoras da lista regional. As duas campeãs são as únicas empresas originárias de Minas Gerais que estão presentes no ranking nacional das marcas mais prestigiadas em Minas”.

Em terceiro lugar aparece a Cemig, segunda colocada nas três primeiras edições do estudo, seguida pela Usiminas, Drogaria Araújo, Gerdau e Unimed, presentes entre as 10 mais prestigiadas desde a estreia da pesquisa. Pela primeira vez entre os dez primeiros, o Hermes Pardini é a oitava colocada do ranking de 2013. Uma das referências nacionais não somente no setor de análises clínicas, mas também em biotecnologia, genética, diagnósticos por imagem, entre outros, a posição do laboratório não é surpresa para os realizadores da pesquisa.

“O Hermes Pardini tem uma rede que atende todo o estado e até fora dele. É uma marca poderosa que, em 2010, ficou em 11º lugar e, em 2011, em 13º, marcando presença entre as empresas de primeiro grupo desde o início da pesquisa”, avalia Levi Carneiro, sócio diretor da Ideia Comunicação Empresarial e associado do Grupo Troiano de Branding. Fecham a lista que contempla apenas empresas mineiras a Copasa e a Votorantim, que voltou a ocupar posição de destaque depois de permanecer uma edição fora do Top 10.

Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600