SIGA O EM
 col-xs-12

Lojas exclusivas divulgam marcas mineiras no Mercado Central de Belo Horizonte

Cachaças, massas e laticínios fabricados na capital e no interior do estado expõem qualidade nas vitrines que atraem turistas nacionais e estrangeiros

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/11/2012 09:07 / atualizado em 22/11/2012 14:50

Daniela Rezende

Há 83 anos, o Mercado Central de Belo Horizonte reúne diversas mercadorias e serviços, e em meio a tantas lojas, poucas se destacam por vender produtos exclusivos, fabricados pelas marcas que dão nome ao estabelecimento. Para serem rentáveis, essas marcas devem prezar alguns quesitos, como qualidade, preço justo, inovação e responsabilidade social. “A responsabilidade do empresário é maior, porque ele está criando mais um ponto de contato do cliente com sua marca. Seu ponto de venda também deve ser uma experiência boa. O desafio é continuar cuidando da marca”, explica o diretor da Ideia Comunicação Empresarial, Levi Carneiro.

CACHAÇAS

Daniela Rezende

A cachaça Serra Morena é uma dessas marcas. Produzida há dez anos em um alambique de Belo Vale, na Região Central do estado, é vendida pela loja especializada Casa Morena, inaugurada há dois anos no Mercado Central. “As lojas do Mercado já eram nossas principais consumidoras em atacado na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), pois atraem turistas de outros estados e estrangeiros, que querem uma cachaça diferenciada”, explica a gerente geral da cachaça Serra Morena, Joelma Augusta Correia.

A vendedora da Casa Morena Naiara dos Santos Rocha, de 23 anos, conhece o gosto e a fidelidade dos consumidores, que vêm crescendo bastante. “Os clientes mais fiéis compram uma caixa de cachaça todo mês. Outros, de fora da capital, experimentam, aprovam e levam a cachaça pelo seu diferencial: o envelhecimento”, comenta. A bebida é armazenada e envelhecida em barris e tonéis de carvalho e jequitibá.

A empresa prioriza sempre a qualidade do produto. “Ele é reconhecido e valorizado. Hoje, o conceito da cachaça mudou: ela é associada ao whisky, pois o principal tipo de madeira usado para sua produção, o carvalho, é a mesma que envelhece essa bebida estrangeira”, constata a gerente. O sucesso da loja é tão grande, que uma filial será inaugurada na região central de Contagem, na RMBH, em meados de 2013.

LATICÍNIOS

Há cinco anos, a loja da fabricante QualiSul no Mercado Central serve como “vitrine para expor os produtos da marca”, conta a gerente do departamento financeiro do fabricante de laticínios, Rosilene Cristina Barbosa. Os produtos derivados do leite, como coalhada, queijo, doce de leite, ricota, requeijão, manteiga e bebida láctea, ficam expostos na loja exclusiva. “Trabalhamos em cima da qualidade, buscando um preço que não fuja à média de mercado, em um local que tem uma variedade de produtos. Lá (Mercado Central), estamos atendendo nossas expectativas”, aponta a gerente.

Além da loja exclusiva na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, existe uma filial na Central de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa Minas), em Contagem, que vende em atacado e varejo. “Atendemos padarias, sacolões e supermercados. São clientes que vêm do interior e que revendem nossos produtos lá”, explica. O Laticínio QualiSul, fundado há 10 anos em Brumadinho, na RMBH, também faz parcerias com asilos e creches, aos quais doa alimentos.

MASSAS

Em 1987, Cerise Sacheto começou a fazer massas caseiras na própria garagem. Depois, elas passaram a ser produzidas em uma fábrica, no bairro Santa Tereza. Há 20 anos, são revendidos na loja que leva o nome da marca, Bella Sicília, no Mercado Central. “A loja foi criada quando se viu a necessidade de divulgar mais a marca no mercado e para o cliente encontrar o produto com mais facilidade”, explica o gerente da loja no Mercado Central, Flávio Augusto de Bessa.

Vendendo em atacado e varejo, a empresa conta com clientes fiéis na capital e em várias cidades do interior mineiro, como Diamantina, Curvelo e Conselheiro Lafaiete. O que os atrai, segundo Flávio, é a grande variedade de massas prontas e semiprontas. “A marca representa qualidade e confiabilidade. Os consumidores compram os produtos sabendo que vão levar alimentos sem conservantes, pois nos preocupamos com a saúde de nossos clientes”, ressalta o gerente.

 



Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600