SIGA O EM
 col-xs-12

O poder das marcas nas grandes corporações

Jaime Troiano mostra como a Marca Corporativa é responsável pela reputação e relação das empresas com fornecedores, colaboradores e clientes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/11/2012 18:00 / atualizado em 13/11/2012 10:26

Daniela Rezende

As Marcas Corporativas vêm ganhando espaço no ambiente empresarial. São elas que geram valor, protegem a organização e ajudam a fortalecer os negócios. “A marca não é um tapume que esconde a empresa e sim um espelho que revela o que ela é. O que nós fazemos é colocar em foco um tema que, hoje, na vida das organizações, adquiriu grande importância: a marca corporativa”, explica o presidente do Grupo Troiano de Branding, Jaime Troiano. O Grupo, em parceria com a Ideia Comunicação Empresarial, realiza a pesquisa Marcas Mais Prestigiadas em Minas. No dia 29, pelo terceiro ano consecutivo, ela será divulgada no jornal Estado de Minas.

As grandes empresas, com marcas corporativas reconhecidas, são conceituadas no mercado. Quando a empresa tem reputação, os funcionários têm orgulho e vontade de continuar o trabalho por ela. “Empresas que têm marcas fortes fazem filas de milhares de pessoas para vagas, porque a marca corporativa é uma forma de somar a identidade profissional e pessoal”, ressalta Troiano.

O crachá, que muitos funcionários levam no peito, representa um pouco dos valores que a empresa pratica. “Se o colaborador não acredita nesses valores, ele deve procurar outro lugar para trabalhar”, comenta o presidente do Grupo Troiano, que há duas décadas está à frente da empresa paulista.

O impacto das fortes marcas corporativas no mercado facilita o contato com clientes e fornecedores. “Essas relações são mais estáveis e você pode contar com eles por mais tempo”, explica Troiano. Há também uma íntima relação entre o poder da marca e a valorização das ações das empresas em Bolsas de Valores. “As empresas com grandes marcas têm em média um valor maior de mercado do que as que não têm esse nível de reputação. É dinheiro e retorno para acionistas e colaboradores”.

Dicas para chegar lá

As grandes organizações não começaram tão grandes assim. Por isso, os empresários de hoje têm chances de seguir os passos das grandes corporações e construir uma bela marca corporativa no futuro. De acordo com Jaime Troiano, durante o crescimento as grandes empresas mantiveram a comunicação com o público interno e externo e os valores, que não devem ser afastados ao longo dos anos. “Vou me oxigenar com o tempo, mas continuo preservando o essencial, que é a minha raiz, na busca do novo”, mostra Troiano.

Outra dica de Troiano é deixar de olhar o mercado da sua mesa do escritório. Os proprietários devem olhar para fora da empresa e ouvir a opinião do público externo, conversando e pesquisando seus clientes. O empresário deve saber como ele é visto de fato. “Ele deve olhar o mundo, não a partir da mesa de trabalho, mas do que existe do lado de fora”, conclui.

Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600