SIGA O EM
 col-xs-12

2010

Ranking completo traz curiosidades

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/05/2010 11:00 / atualizado em 07/11/2012 20:01

A lista das 45 empresas mineiras avaliadas quanto ao prestígio das marcas, na pesquisa do Grupo Troiano e da Ideia Comunicação, traz representantes de 14 segmentos comerciais e industriais, com destaque, em termos quantitativos, para metalurgia e siderurgia, com oito corporações incluídas, construção, com sete, mineração, com cinco, e alimentos, com quatro. Com três empresas ou menos, aparecem os setores de comércio varejista (três), veículos e peças, química e petroquímica, saúde, telecomunicações e serviços públicos (duas), além de petróleo e gás, comércio atacadista, têxtil e papel e celulose (uma representante, cada).

Há curiosidades na confrontação entre a relação das maiores organizações do estado, em receita líquida e relevância no cenário econômico mineiro, e o resultado da pesquisa específica sobre suas marcas. Uma delas é de que as duas únicas empresas públicas relacionadas entre as principais corporações de Minas também têm suas marcas entre as mais prestigiadas pelos consumidores: Cemig e Copasa figuram entre as quatro primeiras colocadas no ranking final do estudo.

Para o empresário e consultor de marcas Jaime Troiano, isso é sinal de que as duas companhias, que até há poucos anos não enfrentavam qualquer tipo de competição, adaptaram-se bem aos novos tempos e aprenderam lições importantes, em um mercado aberto. "O processo pelo qual se tornaram mais competitivas incluiu, para benefício dos usuários dos serviços, a ideia de que prestígio e reputação são fundamentais para o negócio e se formam no fim da linha, ou seja, na ponta do consumidor", afirma.

ALERTA
Outro aspecto que chama a atenção é quanto ao setor vice-líder em representantes na lista das maiores empresas do estado: o de construção. Embora com sete empresas no ranking das 45 principais organizações mineiras, o segmento teve apenas uma delas – a Andrade Gutierrez – incluída em uma das listas das dez mais prestigiadas por atributos (foi a décima, na dimensão
"ambiente para trabalhar"). Além disso, apenas duas construtoras aparecem entre as 20 primeiras do ranking final: a própria Andrade Gutierrez, 15ª na classificação geral, e a Tenda, na 16ª posição.

"Esse desempenho não muito satisfatório de algumas empresas e segmentos na avaliação das marcas, como no caso da construção e também de outros setores econômicos importantes, serve de alerta para as organizações", diz Jaime Troiano. "A palavra-chave, para nós, é consistência. As empresas precisam perceber que só com um comportamento consistente em suas trajetórias vão obter bons resultados quanto ao prestígio e à reputação de suas marcas", acrescenta.

Soraia Piva

Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600