SIGA O EM

Maurino Araújo, artista plástico

Água limpa e sombra fresca

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 273180, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Beto Novaes/EM/D.A Press', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2009/12/24/141424/20091224110407467899e.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': None}]

postado em 24/12/2009 11:00

Maurício Lara /Estado de Minas



Beto Novaes/EM/D.A Press
 

O artista plástico Maurino Araujo nasceu em Rio Casca, mas está no Bairro Aarão Reis, na Região Nordeste de Belo Horizonte, desde meados da década de 50. É de lá que ele gosta de sair caminhando, rumo à região central. Passa pela Avenida Cristiano Machado, chega à Savassi, curte a praça da Liberdade, desce Bahia e vai ao Mercado Central, antes de tomar o ônibus de volta para casa. “Vou curtindo a cidade de pertinho”, ensina.

Como vê a cidade de perto, queria dar a ela, de presente, uma melhora nas condições de suas águas e árvores. Sonha com águas limpas e árvores frondosas, que redundem em saúde para todos os moradores. No olhar do artista, Belo Horizonte tem uma topografia interessante e lugares muito bonitos. Mas, com o passar dos anos e com o crescimento, esse olhar vai ficando cada vez mais rigoroso. Com uma vocação que ele classifica como “muito mais interiorana do que metropolitana”, Maurino caminha pelas ruas no sentido contrário ao dos carros – “Fico vendo como eles aceleram, é terrível” – e vai desejando que os administradores consigam ver onde a cidade precisa de mais investimentos. “É preciso melhorar o urbanismo, ter cuidados com o verde e com a limpeza dos riachos”.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600