Publicidade

Estado de Minas Energia

Eletrodomésticos com selo Procel


postado em 26/08/2012 07:00 / atualizado em 24/08/2012 14:03

O Selo Procel Eletrobras de Economia de Energia orienta os consumidores a adquirirem os produtos mais eficientes, estimulando a indústria a investir em tecnologia para uma produção ambientalmente correta. "O programa é voluntário e, portanto, só participa o fornecedor que desejar. Mas ter a chancela do Selo Procel é um diferencial importante para as empresas. Por isso, elas acabam participando", garante o gerente da Divisão de Planejamento e Fomento da Eletrobras, Emerson Salvador.

O interesse pelo selo é evidente. Só no ano passado, 3.784 modelos de equipamentos receberam o selo. Essa movimentação reflete diretamente nos resultados de economia energética conquistados pelo país, com o fato de o Brasil ter deixado de consumir 6,64 bilhões de kWh no ano e alcançado uma redução de demanda no horário de ponta de 2,605MW.

Testes

O Programa Procel é executado pela Eletrobras em parceria com o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que trabalha na realização de testes das centenas de aparelhos e equipamentos que pretendem conquistar o selo de eficiência energética. No caso das geladeiras, por exemplo, o selo garante que mesmo em condições de mau uso, quando a porta é aberta várias vezes, ou a temperatura do termostato não estar regulada para a estação do ano, o consumo de energia elétrica se manterá no menor nível possível. "Para conseguir o Selo Procel a máquina precisa, além de consumir pouca energia, lavar com eficiência e gastar pouca água", completa Salvador.

Ele admite que, normalmente, os eletrodomésticos com maior eficiência energética custam um pouco mais caro. Uma das justificativas é o uso matéria-prima superior. Mas o retorno financeiro para o consumidor, ressalva o gerente, vem com a economia na conta de luz. A simples troca de uma lâmpada gera uma economia significativa. "Ao utilizar uma lâmpada incandescente, por cerca de quatro horas diariamente, no final do mês o consumidor pagará, em média, R$ 4 na conta de luz. Se trocar a lâmpada por uma fluorescente, certificada com o Procel, o gasto será de R$ 1%", explica Salvador.

Estímulo

A dona de casa Leda da Conceição Beckler, de 66 anos, pôde perceber muito bem no bolso a vantagem da eficiência energética. Ela trocou todas as sete lâmpadas incandescentes que tinha em casa por lâmpadas fluorescentes. A troca foi feita em abril, e em maio, ela conseguiu reduzir o valor de sua conta de luz. "Minha conta de luz era R$ 240. Em maio, caiu para R$ 220,00. Em junho e julho, paguei R$ 182%", lembra, emendando: "No início, não acreditava muito. Achava que era bobagem, coisa para vender lâmpadas,mas pude comprovar que a conta ficou mais barata".

Leda passou a adquirir eletrodomésticos certificados com o Selo Procel depois da experiência com as lâmpadas. "Tenho sugerido a troca de lâmpadas e equipamentos à minha família. Na casa da minha mãe e da minha filha as lâmpadas já foram trocadas, e aos poucos, vamos comprando os eletrodomésticos que consomem menos", planeja.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS