SIGA O EM

PLANO DE ESTUDOS ENEM 2016

Procrastinação: uma pedra no caminho da sua vaga para a universidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1007477, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Divulga\xe7\xe3o/Percurso', 'link': '', 'legenda': 'Voc\xea procrastina? Mudan\xe7a de postura pode ser fundamental para seu sucesso no Enem.', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/02/23/737079/20160224092507955072o.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}, {'id_foto': 1007478, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Divulga\xe7\xe3o/Percurso', 'link': '', 'legenda': 'Deixar as tarefas para depois gera frustra\xe7\xe3o e baixa estima.', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/02/23/737079/20160224092540416360i.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}]

postado em 23/02/2016 20:18 / atualizado em 24/02/2016 09:42

Diego Lacerda



O termo PROCRASTINAR pode até não ser prontamente conhecido pela maioria dos estudantes, mas com certeza a ação a qual o verbo implica é amplamente executada. E sim, é praticada por todos, em maior ou menor grau, e se não for domada pode ser um empecilho para seu sucesso. Ouso dizer que pode ser a maior responsável pelo fracasso e baixo desempenho do estudante, seja para aprovação nos mais diversos exames ou para a caminhada no aprendizado, seja no ensino médio, vestibular ou no superior.

Divulgação/Percurso

Considere a seguinte situação: Imagine um estudante entusiasmado, determinado e bem-intencionado que estuda sozinho de seis da tarde até a meia-noite para o Enem, por exemplo, alguém com quem você provavelmente se familiariza. Às seis horas ele chega até sua bancada de estudos e organiza tudo cuidadosamente para o período de aprendizagem. Com tudo no lugar, o rapaz reajusta cada item com cuidado, dando tempo para encontrar a primeira desculpa para não começar: lembra-se que de manhã não teve tempo de checar sua caixa de e-mails e nem de acessar os blogs que tem costume. Então, decide cuidar disso antes de começar a pesquisa séria. É claro que vai demorar mais do que pensava, há muitas coisas interessantes no jornal que ele havia visto mais cedo, mas não tinha conseguido ler. É melhor, então, resolver essas pequenas coisas antes de estudar.

Quando ele sai de frente da bancada e se envolve com os jornais percebe que havia ainda mais coisas interessantes para ler do que pensava. Ele vê a seção de entretenimento e naquele momento parece uma boa ideia planejar a primeira pausa da noite, talvez um programa de TV interessante entre oito... Oito e meia.

Divulgação/Percurso

O estudante descobre outro programa interessante que inevitavelmente começa em 10 minutos. No momento pensa: “Bom, eu tive um dia puxado e não vai demorar muito até o programa começar. Preciso de um descanso de qualquer jeito, e relaxar vai me ajudar mesmo a começar a estudar direito.” Depois disso ele volta para a bancada somente ás 21h.
Agora ele toca seu livro, quando lembra que tinha de ter uma conversa com uns amigos nas redes sociais, mandar uma mensagem pelo Whatsapp para uma moça que lhe deu mole e ainda verificar quantas curtidas sua foto rendeu no Instagram. Assim como os artigos no jornal, ele decide resolver isso tudo primeiro antes de começar para valer. Claro que as mensagens são muito mais interessantes.... Vamos começar às 21h45.

Naquele ponto ele abre o livro com uma postura de determinação e começa a ler (a primeira página). Sente então os primeiros sintomas de sede e fome. Se não comer algo ele não terá energia para se concentrar... A única e óbvia solução é um lanche leve, mas quanto mais itens gostosos ele vê na geladeira, mais pesado o lanche se torna.
22h22.

Agora não há mais nada que possa interferir no seu estudo. As primeiras frases são olhadas novamente... Ele percebe que seu estômago está muito pesado, e que uma preguiça geral parece ter se instalado. O melhor neste momento é assistir àquele outro programa interessante, ou ver o episódio inédito do seriado que coincidentemente começa em 15 minutos. À meia-noite ele está dormindo em frente à TV.

Mas mesmo nessa hora ele vai pensar que o dia não foi assim tão perdido, pois ele descansou, comeu, viu alguns programas interessantes e relaxantes, cumpriu seu compromisso com as redes sociais e resolveu tudo para que amanhã ele possa começar a estudar, ás 18h...

Este pequeno relato resume o que seria a procrastinação. Procrastinar é deixar para depois, enrolar, dar desculpa para não fazer algo e fazer outra coisa no lugar. É um comportamento normal do ser humano e nós, estudantes (sim, eu também me coloco neste rol), procrastinamos cada vez mais. No mundo de hoje, a oferta de informações e de publicações aumenta vertiginosamente, enquanto a habilidade de estudar e lidar com tudo isso é negligenciada, sequer abordada em muitas escolas. Se o estudante quiser cooperar com a situação, ele não precisa mais aprender “coisas impossíveis”, mas sim novas maneiras de lidar e estudar a informação – novas formas de usar suas habilidades naturais para aprender, pensar, lembrar e criar soluções.

É interessante analisarmos que a procrastinação só prevalece no dever. Não procrastinamos coisas que gostamos ou sentimos prazer. O psicólogo Joseph Ferrari no seu livro Procrastinação relata: “a maioria de nós começa o dia procrastinando, ao apertar aquele botão do despertador que permite ficarmos na cama por mais cinco minutinhos.” Seria hipocrisia da minha parte sugerir que você nunca mais procrastine. TODOS nós procrastinamos. Porém o estudo se torna mais eficaz a medida que reduzimos esses períodos. Quando era vestibulando consegui maiores êxitos somente ao administrar meu tempo de forma correta, dando espaço para o estudo e espaço para os amigos, com a mesma importância e o mesmo afinco. Hoje, como médico e professor, também tenho que lidar, com a chuva de informações e de tecnologias para que isso não impeça meu rendimento nos estudos.

Se tudo for feito de forma organizada e planejada, pode ter certeza de que dá tempo de dar aquela curtida e descansar a cabeça para mais um dia.

Seguem algumas dicas para evitar a procrastinação:

  • Analise seu modo de agir e de ser determinado; veja em quais momentos você realiza suas atividades com prazer. Algumas pessoas são mais noturnas, enquanto outras são mais diurnas. Com isso, ao conhecer o seu próprio ritmo, você consegue determinar qual período é melhor para você trabalhar, estudar, descansar ou se divertir.
  • Após ter feito sua lista coloque o prazo máximo para realização. Se o que você quer fazer ou o que você tem que fazer “é para ontem” você não terá escolha, senão fazer. Então, ao invés de deixar tudo ficar “para ontem”, estabeleça prazos e siga-os à risca. Estabeleça um compromisso consigo.
  • Não pense muito para realizar alguma tarefa da lista, faça imediatamente. Pois se pensar muito, irá procrastinar. Outro erro comum é ficar planejando, criando mil listas para fazer ou permanecer na argumentação e na contra argumentação: “não fiz isso, não fiz aquilo. Se eu fizer isso agora, vou deixar aquilo para depois. Mas eu tenho que fazer isso também. Então, se eu fizer aquilo outro primeiro, vai dar tempo e vou….”

Reflita sobre este tema e faça uma auto avaliação. Ter controle sobre a procrastinação pode ser o grande detalhe entre o êxito ou a permanência da pedra no caminho que pode atrasar seus objetivos e deixa-los pra depois...

Diego Lacerda é especialista da Finc - Grupo de Estudos e colaborador do Percurso Pré-vestibular e Enem.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600