SIGA O EM

Notas dos cotistas da UFMG abre debate na internet

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 27/01/2016 06:00 / atualizado em 27/01/2016 07:31

Francelle Marzano

A reportagem “Nota de alunos que ingressam na UFMG pela cota já supera a dos não cotistas no último vestibular”, que foi manchete do Estado de Minas de ontem, ganhou repercussão na internet. A matéria compara as notas dos cotistas que chegam à Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 2016 com as dos não cotistas ingressantes em 2013, último ano em que o vestibular foi a porta de entrada para uma das maiores instituições públicas do Brasil.

Até o final da tarde de ontem, a capa da edição teve mais de 4,6 mil compartilhamentos no Facebook, alcançou mais de 840 mil pessoas e recebeu mais de 36 mil curtidas. Cerca de 3,5 mil seguidores, entre apoiadores e críticos do sistema de cotas, comentaram a publicação. Clara Jas comentou: “Ótimo! Sinal de que o sistema de cotas pode dar resultados positivos até que não precisemos mais utilizá-lo! Estudar e evoluir”. Outro seguidor, no entanto, fez uma ressalva: “Fico feliz pelo fato apresentado, mas a política de cotas é uma medida que deveria ser paliativa e que não resolve o problema da educação básica no nosso país, um fato a ser pensado se quiserem levar o debate com mais dignidade do que apenas falar”.

Além da capa, a matéria ganhou repercussão nacional e a postagem para seu link no em.com.br alcançou mais de 56 mil pessoas no Facebook. Foram mais de 1 mil curtidas, 160 compartilhamentos e 135 comentários. A seguidora Débora Oliveira Capricha comentou: “Existe uma diferença gritante, relativa a grupos étnicos, quando se fala de risco social e situação de vulnerabilidade. Essa é a razão das cotas... Aceitem! Se não satisfeitos, peguem uma dose de bom senso e empatia e observem ao seu redor a colocação social de acordo com questões étnicas, será mera coincidência?”.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600