SIGA O EM

Sem verba federal, Pronatec para e pode prejudicar a formação de alunos

Previsão era de que as aulas começassem em maio, mas com corte no orçamento data foi adiada para 27 de julho

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/04/2015 06:00 / atualizado em 15/04/2015 06:49

Márcia Maria Cruz /Estado de Minas

Beto Novaes/EM/D.A Press 15/4/10

O segundo adiamento para o começo das aulas do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) deixa alunos e professores com incertezas em relação à continuidade da formação. Em março, o início estava previsto para 7 de maio, data que foi adiada para 17 de junho e agora passou para 27 de julho, diante da alegação do Ministério da Educação (MEC) de problemas no orçamento. Em algumas instituições que executam o programa, como o Colégio Técnico da Universidade Federal de Minas Gerais (Coltec/UFMG), parte dos professores suspendeu as aulas, desde 6 de abril, depois de meses sem receber. Diante das inúmeras mudanças no cronograma os alunos, prestes a se formar, temem pelo futuro.


Com adiamento em quase três meses em relação ao primeiro prazo anunciado, os professores das instituições queixam-se da quebra no processo pedagógico. Os repasses às instituições que executam os cursos do Pronatec estão atrasados desde o início do ano, conforme reconhece o próprio MEC. De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, há ainda parcelas de repasses de janeiro pendentes. O adiamento do início das aulas também está relacionado à falta de recursos. O ministério informou que a “alteração de cronograma se justifica pelos procedimentos decorrentes da aprovação do orçamento federal”. Argumentou ainda que a mudança atende ao pedido de várias instituições de ensino e que “o calendário foi ajustado de maneira a compatibilizá-lo com o calendário acadêmico das instituições”.


O adiamento do início das aulas não deve afetar somente a rotina das turmas ingressantes no Pronatec, mas preocupa também quem já é veterano. Aluna do curso de logística do Coltec/UFMG, Alessandra Araujo Ferreira, de 29 anos, queixa-se do prejuízo que o atraso dos repasses federais tem ocasionado à sua formação. Ela teme não conseguir concluir o curso, cujo término estava previsto para maio. “Corremos o risco de não receber o tão sonhado diploma, depois de tanto tempo de dedicação e estudo. Estamos sem aulas e nossos professores – depois de suportar tantos meses trabalhando sem seus pagamentos, tirando dinheiro do próprio bolso para o deslocamento – decidiram entrar em greve, mais que justamente”, disse. Alessandra explica que, mesmo sem receber desde o ano passado, os professores continuaram a lecionar, mas desde a semana passada a situação ficou insustentável, uma vez que não havia nenhuma informação sobre quando a verba seria repassada.


A estudante também reclama de falta de resposta da reitoria da UFMG em relação à continuidade do curso. “A reitoria diz que é uma questão do Pronatec, que deve ser resolvida em Brasília. Então, fica um jogo de empurra. Não sabemos quando e nem se vamos nos formar”, diz. Também foram suspensos outros cursos, como o de edificações. “Muitos alunos compraram material caro, mas eles simplesmente cancelaram o curso”, relatou a jovem.


A UFMG confirmou, pela assessoria de imprensa, que alguns professores não estão mais dando aula, mas a instituição ainda não tem o balanço de quantos cruzaram os braços. Por causa disso, há cursos total e parcialmente suspensos.

CRONOGRAMA O Ministério da Educação informou que retificará o edital com as datas do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Ainda segundo o ministério, o resultado preliminar das vagas aprovadas será divulgado em 18 de maio. O resultado final das bolsas será divulgado em 19 de junho. Os candidatos podem fazer a inscrição no processo de 22 a 26 de junho. No dia 30, sairá o resultado da primeira chamada. Os selecionados devem fazer a matrícula entre 1º e 3 de julho. A segunda chamada terá o resultado publicado em 7 de julho, com matrícula de 8 a 10 do mesmo mês. As inscrições on-line para as vagas remanescentes devem ser feitas de 13 a 26 de julho.

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Narciza
Narciza - 15 de Abril às 17:23
Estou triste, preocupada e indignada com a falta de respeito do nosso atual governo em relação à educação em nosso país. Sou aluna da instituição COLTEC/UFMG e faço parte da turma de Logística custeado pelo programa PRONATEC. Acontece que a turma iniciou os estudos em Novembro/2013 com previsão de término para Setembro/2015. Por falta de envio de verbas para os cursos, nosso cronograma de término de curso foi alterado para Junho/2015, e há duas semanas estamos sem aulas. Estão nos fazendo de palhaços e não sabemos sequer se iremos nos formar.
 
Daniel
Daniel - 15 de Abril às 12:54
Brasil, pátria educadora! E viva o PT! Que situação...
 
Alex
Alex - 15 de Abril às 11:21
E a Presidanta falando em um debate para uma graduada em economia pra fazer pronatec... Que piada.
 
Mario
Mario - 15 de Abril às 10:32
Como sempre, programas eleitoreiros dos PTralhas...............Eles brincam com os cidadãos............tem de dizimar esses caras da face da terra..........
 
Geraldo
Geraldo - 15 de Abril às 09:14
Isso porque o Brasil é pátria educadora imaginem se não fosse!...
 
marco
marco - 15 de Abril às 09:09
Estudei no Coltec de 1974 a 1976. Era uma escola modelo e foi uma época muito especial na minha vida. É com muita tristeza que vejo o estado atual. Sei que nada dura para sempre, mas dói ver o Coltec ser destruído.
 
Amalia
Amalia - 15 de Abril às 08:35
Uai... mais esse não era um dos principais programas da campanha de Dilminha????
 
JOSE
JOSE - 15 de Abril às 08:22
Kkkk........Acabou o dinheiro da Pátria Educadora.....
 
alair
alair - 15 de Abril às 07:58
Acabaram com o resto que havia de bom no Brasil. O futebol, a cerveja barata e as novelas continuam tendo "Padrão FIFA". Qual será o próximo passo do PT?
 
Marco
Marco - 15 de Abril às 07:22
Verba para os políticos e criminosos deste país tem e muita "né" governantes? porque as grandes empresas E A POLÍTICA deste país não podem ajudar na educação deste país? RESPOSTA: PORQUE FORMAM CRIMINOSOS NAS MELHORES ESCOLAS DESTE BRASIL: NO SENADO, CÂMARA DOS DEPUTADOS...