SIGA O EM

Uso de celular elimina 236 inscritos do Enem

Percentual de desistência chegou a 28,64%, equivalente a cerca de 2,5 milhões de candidatos que não compareceram

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/11/2014 06:00 / atualizado em 10/11/2014 07:54

Landercy Hemerson

Alexandre Guzanshe/EM/DA Press


O número de candidatos flagrados com telefone celular durante o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) este ano foi cinco vezes maior que o de 2013. Em entrevista ontem à noite, em Brasília, o ministro da Educação, José Henrique Paim, informou que 236 pessoas em todo país foram punidas pelo uso do aparelho, de um total de 1.519 eliminadas por infringir regras do exame de um modo geral. Ano passado, foram 1.500 eliminações, dos quais 47 com celulares. Ontem, em Sabará, na Grande BH, um jovem de 19 anos foi detido por policiais militares ao ser surpreendido pelos fiscais com o aparelho em mãos. Em Juazeiro do Norte (CE) dois foram presos por fraude por meio de telefone.


Para Paim, as 236 suspensões relacionadas ao uso indevido de celulares foram expressivas, mas ele destacou que ainda são números preliminares, que devem aumentar. “Se considerarmos eliminações por todo tipo (irregularidades), chegamos a 1.519 em todo exame, número preliminar. Isso é lamentável, mas queremos dizer que vamos continuar aperfeiçoando esse processo, ampliando o rigor, para que qualquer tipo de perturbação ou fraude no exame seja coibida e garanta a isonomia de quem faz o Enem”, afirmou o ministro. Nos próximos dias, com a ajuda da Polícia Federal (PF), o MEC deverá divulgar o balanço final das eliminações.


Também foi divulgado o balanço das desistências, que este ano chegaram a 28,64% dos inscritos, de um total de 8,7 milhões de candidatos. O índice é pouco inferior ao de 2013, que chegou a 29,7%. Ao todo, foram realizados exames em cerca de 1,7 mil municípios brasileiros. “Tomamos medidas importantes no sentido de fazer com que houvesse maior conscientização das pessoas, chamando a atenção delas para a importância da inscrição e do comparecimento. José Henrique Paim considerou que houve uma melhora pequena e que, após a análise mais apurada dos dados, vai adotar novas medidas para reduzir o percentual de desistência.

NA MÉDIA “Historicamente, o Enem tem apresentado esse número de abstenções, não houve uma mudança. Vamos trabalhar para descobrir que tipo de medidas poderão ser aplicadas às pessoas que reincidirem na ausência”, disse o ministro, que também destacou a tranquilidade nos dois dias de exame, sem os problemas registrados nos anos anteriores. “Isso demonstra que esse processo está consolidado no país”, concluiu.

 

Depoimentos

 

Carolina Nappi Mateus
21 anos

Teve um incentivo de peso para fazer as provas do Enem. Para apoiá-la, há três anos o pai, o dentista Carlos Alberto Morais Mateus, de 49, também faz o teste. Carolina cursa odontologia na UFMG, mas o sonho é conquistar uma vagasde medicina. “Fico muito feliz que ele venha. Espero que a nota dele seja tão boa que possa ingressar até em medicina”, disse.

Marcela Cristine Torres Marra
18 anos

Pretende conquistar uma vaga no curso de direito da UFMG. Atualmente, ela estuda em uma faculdade particular. Como escreve muito na graduação, ela acredita que terá um bom desempenho na redação. “Gostei muito do tema. É importante os pais mostrarem aos filhos que nem sempre o produto é como a propaganda apresenta”, afirmou.

Mariana Pinheiro
16 anos

Estava bem tranquila ao fim da prova. Nessa edição, ela fez de forma descompromissada, apenas para conhecer o Enem. “Não fiz todas as questões, porque ainda estou no segundo ano do ensino médio e não vi toda a matéria. Matemática estava bem complicada”, disse. Mesmo assim, ela acredita que poderá ter uma boa nota.