SIGA O EM

Candidatos no Rio acham que nota da redação fará a diferença no resultado final

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/11/2014 18:12

Agência Brasil

Duas horas antes do fechamento dos portões, já era grande a movimentação de candidatos no campus Maracanã da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), na zona norte da cidade, para o segundo dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). No local, prestam o exame 5,6 mil dos 606 mil inscritos em todo o estado.

Muitos chegavam em grupos e trocavam ideias sobre a prova do dia anterior e as expectativas para a deste domingo. Já outros preferiam ficar isolados. Beatriz Costa, de 20 anos, pretende cursar arquitetura e presta o exame pela terceira vez. Morando em Del Castilho, também na zona norte carioca, ela tem o ensino médio completo, cursado em colégio particular.

“Estou preparada, mas redação é sempre uma ansiedade, porque o que pega é o tema. Matemática eu gosto muito, estou bem tranquila”, disse.

Com relação à prova de ontem (8), Beatriz achou que foi a melhor desde 2012, quando prestou pela primeira vez o Enem. “Tanto que eu corrigi com o suposto gabarito e vi que fui bem”. Confiante, ela espera que este seja o seu último Enem. “Eu nunca me dediquei tanto quanto este ano. Quero passar, porque já não aguento mais”.

Acompanhado da colega de escola Ester Larck, de 21 anos, Douglas Silva, de 18, faz o seu primeiro Enem. Egresso de uma escola pública, o Colégio Olintho da Gama Botelho, em Pilares, na zona norte, Douglas, que pretende ser advogado, aposta na redação para ser bem sucedido na prova deste domingo.

“Eu espero fazer uma boa redação, tirar uma boa nota, e com os pontos ingressar numa das melhores faculdades de direito, talvez a UFRJ [Universidade Federal do Rio de Janeiro] ou aqui mesmo, na Uerj”, disse.

Já a matemática, que também faz parte da prova de hoje, não assusta Adalberto de Oliveira, de 18 anos, morador do bairro da Piedade que ainda cursa o ensino médio em um colégio particular. “Olha, eu sou bem melhor em exatas. E acho que o dia de hoje vai ser bem melhor que o de ontem, que foi de humanas. Com a de hoje, espero aumentar minha pontuação”.

Adalberto, que presta o seu primeiro Enem, pretende aproveitar o tempo maior da prova de hoje com a redação. Segundo o jovem, seu maior foco não é o Enem, mas sim os exames de acesso às escolas militares. “Como esse ano é um ano importante, eu estou fazendo todas as provas. Se for escolher uma faculdade, eu acho que prefiro medicina”. Sobre a prova de ontem, Adalberto disse apenas que foi “cansativa”.
Tags: enem2014
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.