SIGA O EM

Vídeos sobre personalidades negras garantem prêmios a estudantes de três escolas de MG

Ministério da Educação premiou aluno do ensino fundamental e médio que fizeram vídeos de 60 segundos sobre os que se destacaram na vida e na cultura do país

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/05/2014 06:00 / atualizado em 14/05/2014 06:43

Junia Oliveira /

GLADYSTON RODRIGUES/EM/D.A PRESS

Sessenta segundos e o desafio de contar em um vídeo tão curto histórias e feitos de negros conhecidos pela força, o talento e a diferença que um dia fizeram na vida e na cultura do país. Estudantes de escolas públicas toparam o desafio para fazer bonito na premiação Curta Histórias, voltada a alunos do ensino fundamental e médio. Oito saíram vencedoras da disputa, incluindo três de Minas Gerais. De Belo Horizonte, ganharam a Escola Municipal Deputado Renato Azeredo, no Bairro Maria Helena, em Venda Nova, e a Escola Estadual Pedro II, no Bairro Santa Efigênia, na região hospitalar. Do Alto Paranaíba, a campeã é a Escola Estadual Dom José Gaspar, de Araxá.

Em sua segunda edição, o prêmio do Ministério da Educação (MEC) teve como tema “Personalidades negras”. A iniciativa incentiva novos talentos e estimula o desenvolvimento de atividades pedagógicas e audiovisuais de cunho educativo e cultural. No fim do mês, alunos e professores viajarão a Brasília por uma semana para a premiação. Medalha, visita pela cidade e uma oficina de cinema estão na programação. Na mala, expectativa e o frio na barriga da primeira viagem de avião para a maioria desses meninos.

Ontem, as alunas da Escola Municipal Deputado Renato Azeredo não contiveram a alegria. O vídeo usou a animação de objetos para falar do centenário de nascimento da escritora Carolina Maria de Jesus, moradora de uma favela de São Paulo que fez história na literatura brasileira. A aluna Isabella Anunciação Mendes, de 15 anos, resume o significado do prêmio para ela, a irmã gêmea, Isadora, e as amigas Stéfany de Souza, também de 15, Gabrielle Santos e Luísa Lima, de 14, alunas do 9º ano do ensino fundamental: “Sabemos agora que podemos conquistar qualquer objetivo desde que haja dedicação”.

Para o professor de artes João Vítor Xavier Dantas, responsável pelo trabalho, é um reconhecimento à disciplina que leciona. “Fica claro que esse tipo de trabalho tem valor. Não é hobby nem brincadeira. É profissional”, ressalta. A diretora da escola, Marisa Campos Coutinho Vicopulos, destaca a importância da vitória para a autoestima dos estudantes. “É uma escola de periferia, localizada entre BH e Ribeirão das Neves. É o reconhecimento de um trabalho que temos feito de resgate desses meninos e mostra a eles que são capazes quando incentivados e motivados”, diz.

GLADYSTON RODRIGUES/EM/D.A PRESS

Poesia

Na Escola Estadual Pedro II, os alunos recitam no vídeo poesia feita coletivamente. Em rimas e versos, falam de personalidades da música brasileira. O orgulho de sair vencedor está na fala de cada um. “Entramos com sede de vitória, mas queríamos, sobretudo, levar o nome da escola para fora”, conta Cássio Augusto Rocha Reis, de 13, aluno do 8º ano do fundamental. Com os amigos Maria Eduarda Carvalho e João Pedro Santos, de 12, Abraão Fagundes e João Vítor Maia, de 13, estudantes do 7º e 8º anos, eles aguardam agora a coroação do trabalho.

O professor de história Fernando Rosa do Amaral, responsável pelo grupo, afirma que essa é uma das maiores alegrias de sua vida: “Somos chamados à educação por ideal. Esse resultado mostra a força do professor por uma sociedade mais justa e igualitária”. O diretor do colégio, Tiago Dias, relata que se trata de reconhecimento de um trabalho feito anualmente na instituição sobre a questão dos negros. “Temos agora a oportunidade de mostrar de forma diferente, e para mais pessoas, o que fazemos aqui.

ÓRFILO FRAGA/DIVULGAÇÃO

Animação

As questões raciais do país também foram o tema da Escola Estadual Dom José Gaspar, vencedora na categoria ensino médio. Os estudantes Rafael Menezes, de 16 anos, do 1º ano, Wesley Costa, de 18, João Vitor Porto, Leonidas Olivie, Alex Sander Lima, também de 16, alunos do 2º ano, usaram o recurso da animação para contar a história de João Cândido, que liderou uma rebelião na Marinha brasileira, conhecida como Revolta da Chibata. “A premiação é importante para dar visibilidade aos alunos do setor público, dando a oportunidade de eles mostrarem sua competência”, afirma o professor Órfilo Honorato Fraga, responsável pelo grupo. Confira os vídeos vencedores no www.em.com.br.

 

Assista aos vídeos


Escola Estadual Pedro II

A Escola Estadual Pedro II apresentou um vídeo em que os alunos recitam poesia feita coletivamente. São rimas e versos que ressaltam personalidades e personagens da música brasileira, conhecidos pela força, o talento e a diferença que um dia fizeram na vida e na cultura do país.

Assita ao vídeo feito por alunos da Escola Estadual Pedro II


Escola Municipal Deputado Renato Azeredo


As alunas da Escola Municipal Deputado Renato Azeredo, de Venda Nova, produziram um vídeo de animação para falar do centenário de nascimento da escritora Carolina Maria de Jesus, moradora de uma favela de São Paulo, que fez história na literatura brasileira.

Assita ao vídeo feito por alunos da Escola Municipal Renato Azeredo


Escola Estadual Dom José Gaspar

Vencedora na categoria ensino médio, a Escola Estadual Dom José Gaspar também usou
as questões raciais como tema do seu trabalho. Usando o recurso da animação, os alunos contaram a história de João Cândido, que liderou uma rebelião na Marinha brasileira, conhecida como Revolta da Chibata.

Assita ao vídeo feito por alunos da Escola Estadual Dom José Gaspar

Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600