SIGA O EM

Especial Educação

Especialistas defendem que a família e a escola devem se envolver na educação alimentar

"Os pais devem levar a criança para as compras, apresentar a ela novos alimentos e deixá-la escolher as frutas, senão na hora do intervalo ela pode não comer o mais saudável"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/01/2014 14:42 / atualizado em 25/01/2014 15:29

Celina Aquino /

Cristina Horta/EM/D.A Press

Refrigerante ou suco? Chips ou pão integral? Chocolate ou fruta? Escolher o lanche para comer no intervalo das aulas não é uma tarefa fácil, considerando que as guloseimas são sempre mais atrativas. Para que os estudantes possam fazer escolhas mais saudáveis, especialistas defendem que a família e a escola devem se envolver na educação alimentar. “Os pais devem ser favorecedores da alimentação saudável, mas a cantina tem que oferecer variedade de opções”, destaca a nutricionista Cláudia Guimarães Pinto Dias, que participou da elaboração da lei que regulamenta a merenda escolar em Minas Gerais.

Desde 2009, as cantinas são proibidas de vender produtos com altos teores de calorias, gordura, açúcar e sal. Para substituir massa folhada, fritura, chips, biscoito recheado e refrigerante, por exemplo, algumas alternativas são pão de queijo, sanduíche natural, massa assada, suco natural, vitamina e fruta. Nas escolas onde os pais levam o lanche, Cláudia orienta que a direção estimule um combinado com toda a turma para estabelecer o que pode entrar na merendeira. “Não dá para um aluno levar chips e refrigerante enquanto o outro come um lanche saudável. Ele vai acabar influenciando negativamente os colegas”, comenta a nutricionista, que trabalha com reeducação alimentar.

Suco é muito mais gostoso que refrigerante na opinião de Yan Lucas Reis Lopes, de 10 anos. Ainda mais surpreendente é a merenda preferida do menino: suco de manga, laranja, pêssego ou caju, pão com requeijão, frutas como banana e uva e iogurte de morango. “Tenho um amigo que todo dia leva chips. De vez quando tenho vontade, mas só como besteira no fim de semana, para não desequilibrar a alimentação”, justifica. Yan também gosta de acompanhar a mãe nas compras.

A diretora da clínica Nutrividade e integrante do Centro Mineiro de Estética e Saúde (Cemes), Fernanda Dias, explica que equilibrar a merenda escolar é incluir porções de carboidrato, nutriente que fornece energia, proteína, responsável pela estruturação de tecidos e células em geral, gorduras saudáveis, para ajudar na concentração, além de zinco, que atua na fase de crescimento, e cálcio, importante para a formação dos ossos. “É bom também pensar na hidratação da criança, porque todo o metabolismo gira em torno da água. Fale para a professora lembrá-la de beber para criar um hábito saudável”, orienta.

Segundo a nutricionista, toda merenda deve conter água, suco, carboidrato e fruta. Substituir suco de caixinha por água de coco, dar preferência para pão integral, privilegiar biscoito sem recheio, incluir granola com aveia na salada de frutas, regar o sanduíche com um pouco de azeite e preparar gelatina com pedaços de frutas são algumas das dicas. Iogurte e leite só quando der para garantir a conservação. “Mas isso não basta. Os pais devem levar a criança para as compras, apresentar a ela novos alimentos e deixá-la escolher as frutas, senão na hora do intervalo ela pode não comer o mais saudável.”
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.