21°/ 29°
Belo Horizonte,
30/AGO/2014
  • (5) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Vestibular de medicina da PUC bate recorde de concorrência em Belo Horizonte Primeiro vestibular de medicina registra 98 candidatos por vaga e supera marca da UFMG. Mulheres são maioria entre os inscritos

Flávia Ayer -

Guilherme Paranaiba -

Publicação: 23/07/2012 08:36 Atualização: 23/07/2012 10:48

 (Cristina Horta/EM)

O sonho de fazer medicina acirrou a disputa no primeiro vestibular da Pontifícia Universidade Católica de Minas (PUC Minas) para o curso, que registrou a concorrência de 98 candidatos por vaga. O índice supera o registrado no último processo seletivo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), de 50 candidatos/vaga em medicina, e é o maior já alcançado na história da instituição particular de ensino. Um total de 5.057 inscritos fez provas, ontem, no câmpus Coração Eucarístico, na Região Noroeste de Belo Horizonte, e em Poços de Caldas, no Sul de Minas, na tentativa de conquistar uma das 51 cadeiras. Mais 822 alunos usam as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para concorrer a nove vagas.

É também a primeira vez, em mais de meio século da PUC Minas, que há inscritos de todos os estados brasileiros. A maioria dos candidatos (68%) é de mulheres e, curiosamente, um quinto deles já concluiu um curso superior. A biomédica Thais Cristina Ferraz de Oliveira, de 25 anos, se enquadra nesse perfil. Natural de Taiobeiras, no Norte de Minas, ela tenta a segunda graduação. “Formei -me em biomedicina, mas resolvi fazer medicina há um ano. Como a prova é só específica, estou animada, espero que dê tudo certo”, diz a candidata, que fez provas de língua portuguesa, redação, biologia, química e língua estrangeira.

A desistência do vestibular foi de 7,7%, abaixo do percentual normalmente registrado nos processos seletivos da instituição. “A alta procura pelo primeiro vestibular do curso na PUC mostra que a medicina ainda é o sonho de consumo dos estudantes e que a instituição tem grande credibilidade”, afirma o integrante da Comissão Técnica do Processo Seletivo Féliz Araújo. A maior disputa até então registrada na universidade foi para o curso de odontologia, nos anos 1970, com cerca de 60 candidatos/vaga. Atualmente, os cursos mais procurados, como engenharia civil e direito, chegam a 15 candidatos/vaga.

Quando chegou ao campus Coração Eucarístico, o estudante Guilherme Vilela, de 21, se assustou com a quantidade de candidatos, mas logo tentou ficar calmo. “Muita gente está aqui só para aumentar as estatísticas, não são candidatos que de fato estudaram para fazer a prova. Estou há dois anos me preparando e acho que vou conseguir”, disse o estudante, que, assim como muitos candidatos, teve problemas para chegar até a instituição. “Moro no Barroca, que é um bairro vizinho, e gastei mais de 40 minutos para chegar”, contou.

O trânsito no entorno da universidade ficou caótico, com cruzamentos fechados, buzinaços e carros parados nas faixas de pedestre. Foi necessário muita paciência para conseguir chegar ao câmpus da maior universidade privada do estado e muitos candidatos preferiram terminar o trajeto a pé. A PUC colaborou com tolerância e, embora as provas estivessem marcadas para as 13h, os portões só foram fechados às 13h27, quase meia hora depois do estipulado no edital. Os resultados dos 60 aprovados no vestibular serão divulgados em 1º de agosto e as aulas começam dia 7, no câmpus Betim, na Grande BH.

Serviço
Resultado do vestibular de medicina da PUC Minas será divulgado em 1º de agosto
Tags: celular

Esta matéria tem: (5) comentários

Autor: Sergio Gandra
os estudantes que tentam medicina acham que a profissão vai lhes dar dinheiro e status, ainda bem que a profissão médica está mudando o perfil e ser médico, engenheiro ou advogado não é garantia de ganhar bem!!! O mito que curso superior dá grana é da década de 70!!! | Denuncie |

Autor: volody quicanez
Teo Fernandes, quando sua mãe estiver passando muito mal, precisar de um atendimento de urgência lee-a ao seu mecânico. E hoje em dia mecânico que sabe somente o "bê a bá" estão ultrapassados. Pense antes de escrever bobagens. | Denuncie |

Autor: Jose Junior
Não quero essa vaga nem de graça, tirando os que ja tem consultorio há anos ou donos de clínicas renomadas, salário de médico é uma merreca, os que trabalham no serviço público ganham em torno de 2000 reais, as condições de trabalho são péssimas. Tô fora. | Denuncie |

Autor: Lucas Lucas
A maioria é treinante para fazer UFMG no final do ano. | Denuncie |

Autor: Teo Fernandes
Mecânico fatura mais que um médico. E nem precisa saber o bê a bá. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.