SIGA O EM

Presidente do Boa diz que Bruno pode jogar em até 40 dias: "Tomamos a decisão certa"

Rone Moraes afirma que terá um novo patrocinador master até a próxima segunda

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1109817, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Boa Esporte/Divulga\xe7\xe3o', 'link': '', 'legenda': 'Rone Moraes (direita) disse que acertou ao contratar o goleiro Bruno Fernandes', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/03/14/854078/20170314103033535407a.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}]

postado em 14/03/2017 10:26 / atualizado em 14/03/2017 21:36

Redação Superesportes

Boa Esporte/Divulgação
O goleiro Bruno foi apresentado como jogador do Boa Esporte na manhã desta segunda-feira. Mesmo com toda repercussão negativa e perda de patrocinadores, a diretoria do clube de Varginha resolveu bancar a contratação do arqueiro, que ficou preso por seis anos e sete meses, acusado de ser mandante do assassinato de Eliza Samudio. O presidente Rone Moraes disse que Bruno deve ter condição de jogo em até 40 dias.
 
“Nós sabíamos que seria polêmica a contratação do Bruno, principalmente pelo seu passado. Mas eu tenho que pensar no ser humano. O Boa não é um tribunal de Justiça. O Boa é uma empresa que tem os seus segmentos, e esses segmentos dão as oportunidades ao próximo. Sabíamos as dificuldades que traríamos pra nós, mas tomamos a decisão certa”, disse Moraes.

“Abrimos as portas para que ele possa ter um recomeço. A gente sabe que não vai ser fácil. Ele está há sete anos sem entrar em campo, mas a gente vai dar toda oportunidade para que ele possa ter seu recomeço como jogador de futebol e ser humano”, acrescentou o dirigente.

Com a contratação de Bruno, o Boa Esporte perdeu cinco apoiadores. Atualmente, a principal fonte de receita vem dos direitos de TV. Ao todo, a Rede Globo paga R$ 4,1 milhões pelas transmissões das partidas do Boa na Série B do Brasileiro. Mas o presidente Rone Moraes promete um novo patrocinador master até a próxima segunda-feira. “Tem a questão dos patrocinadores, sabemos que as empresas têm filosofias, e respeitamos. No mais tardar até segunda nós já estaremos anunciando outro patrocinador master”, disse.

Bruno pode estar em campo até mais rápido do que se imagina. Ele ficou preso por mais de seis anos, mas tem boas condições físicas. “De acordo com a nossa comissão técnica, em torno de 30, 40 dias ele (Bruno) estará apto a fazer sua estreia. Com relação ao contrato, já está tudo certo, e a gente espera que o mais rápido possível ele possa estar apto a ajudar a nossa equipe dentro de campo”, disse o presidente.

Apesar da polêmica, os jogadores do Boa Esporte parecem ter compreendido a contratação do goleiro Bruno. Pelo menos é isso que diz o presidente Rone Moraes.

“Conversei com jogadores mais experientes antes da contratação dele; todos estão conscientes e vão recebê-lo bem. O que aconteceu na vida do Bruno faz parte da vida dele, temos que pensar daqui para frente, a gente tem que dar oportunidade para o ser humano. Não estou aqui para julgar. O Bruno está aqui porque conseguiu a liberdade dele na maior corte do pais, e se ele conseguiu retornar à vida social eu não tenho direito de julgá-lo. Posso dar uma oportunidade para que ele possa seguir a vida dele”, afirmou Rone Moraes.

 

 

(RG) 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Marcos
Marcos - 14de Março às 14:35
Não li a matéria, mas abri só para fazer uma pergunta: não será hora de parar com tanto espaço aberto para esse assassino? |MP|
 
OLIVEIRA
OLIVEIRA - 14de Março às 12:25
Bem ou mal, certo ou errado, a legislação que temos (Lei de Execução Penal - artigos 26, 36 e 37) estabelece que o trabalho do preso é UM DEVER SOCIAL. A sociedade tem dever de acolher o preso, oferecendo-lhe trabalho. Embora a justiça é cega e por isso não pode ser seletiva. Não pode haver uma justiça para os demais presos e outra só para esse BRUNO. Ele merece, sim, cumprir a pena que vier a ser imposta a ele.Entretanto, tem direito a todos os benefícios que os demais presos (definitivos ou provisórios) possuem. Não há ilegalidade e sequer imoralidade no que fez o BOA.