SIGA O EM

Patrocinador do Boa diz que Bruno merece segunda chance

Ceo do Grupo Góis, Rafael Góis assegura continuação da parceria com clube do Sul de Minas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 11/03/2017 15:09 / atualizado em 11/03/2017 15:13

Guilherme Paranaiba , Paulo Henrique Lobato /

Em resposta às críticas nas redes sociais à contratação do goleiro Bruno pelo Boa Esporte, o executivo Rafael Góis, ceo do Grupo Góis & Silva, principal patrocinador do clube de Varginha, disse ao Estado de Minas que o atleta cometeu “um ato extremamente grave”, mas que ele merece uma segunda chance. Assegurou ainda a continuação da parceria com o time do Sul do estado.

“O passado do Bruno foi conturbado, polêmico, com um ato extremamente grave e que gera revolta em muitas pessoas. Mas cabe salientar que foi a justiça que o libertou, tendo em vista que já cumpriu parte de sua pena, continua sob pena, mas em trabalho de ressocialização. E o trabalho faz parte desta nova fase da sua vida. Nossa empresa acredita na ressocialização, e a favor de (dar ao goleiro uma) segunda chance”, escreveu Góis.

O executivo confirmou que o grupo concordou com a contratação do ex-jogador de Atlético e Flamengo: “Se a justiça o liberou, quem somos nós pra o subjugar. Temos conosco que temos de ser conscientes do passado (do Bruno), mas temos como obrigação de sermos humanos em comunidade, em conceder esta nova chance e a oportunidade de ele poder reescrever sua história”.

Góis admitiu que a contratação do goleiro pelo Boa teria grande repercussão. Muita gente elogiou. Outras tantas criticaram. Houve até quem postou mensagens contrárias na página social do grupo. Destacou, contudo, que o patrocínio é ao time do Boa e não ao atleta. “Acreditamos no esporte do Brasil e, por isso, há 3 anos mantemos nossa parceria com o time. Sim, vamos continuar com a parceria”.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Willian
Willian - 12de Março às 07:13
Segunda chance? A vítima teve uma segunda chance? Lançado o boicote aos patrocinadores que ficarem.
 
Andre
Andre - 12de Março às 01:46
Assassino algum tem que ter segunda chance.
 
geraldo
geraldo - 12de Março às 00:32
Perdeu patrocinador?
 
sandro
sandro - 12de Março às 00:24
Qualquer empresa séria e com um bom administrador largaria esse clube. Que imagem o time tem, quando contrata um assassino, que em momento algum arrependeu do que fez, e sequer abriu a boca pra falar o que fez com a ex namorada e mae do filho dele? Um homem que mata dessa forma nao tem coração nem sangue. É um cafageste, e sujou a imagem do BOA e de varginha. Demonstrou o despreparo dos dirigentes desse pequeno time. Bandido.Se ele fosse de confiança e se fosse gente, grandes clubes teriam contratado. Mas só os inocentes e palhaços é que caíram nas propostas. Até o torcedor deve ter vergonha.
 
julio
julio - 11de Março às 22:23
Esta empresa deveria repensar...amanhã estará difamada nas páginas de Facebook etc.. Uma pessoa que assassinou uma mãe... ele que era um privilegiado de conseguir ser um jogador de futebol... era só capa ! Assassino que tentou de tudo tumultuar a investigação... não merecia chance alguma.. merecia uma lei mais enérgica feita por uma classe não corrupta... por aqui neste país as leis são tratadas por bandidos