SIGA O EM

Homem é encontrado morto com moto do goleiro Bruno

Assassinado na Região da Pampulha, homem com passagem por tráfico de drogas estava com veículo que pertence ao goleiro. Familiares disseram à polícia que moto foi um presente de Bruno. Advogado nega e acredita que o veículo tenha sido vendido

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/03/2015 13:48 / atualizado em 09/03/2015 13:51

Cristiane Silva

A Polícia Civil está investigando o assassinato de um homem de 38 anos ocorrido na última quinta-feira no Bairro Urca, na Região da Pampulha, em Belo Horizonte. No momento do crime, estava com uma moto registrada no nome do goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza, que cumpre pena pela morte de Eliza Samudio.

Segundo a Polícia Civil, a vítima é Cláudio Camargo da Silva. Na quinta-feira, ele entrou em uma papelaria no Bairro Urca já ferido, tentou se esconder e foi perseguido por um homem, que atirou na cabeça dele. Cláudio foi atingido por mais alguns disparos e, em seguida, o autor fugiu em um carro prata que aguardava na porta.

Por meio da assessoria da corporação, a delegada Elenice Cristine Batista Ferreira, da Delegacia Regional Noroeste, informou que familiares da vítima disseram que ele ganhou a moto de presente do goleiro Bruno. Eles estiveram presos na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, entre 2011 e 2013, quando Cláudio cumpria pena por tráfico de drogas. A delegada não deu mais detalhes sobre a linha de investigação para não atrapalhar as apurações.

O advogado de Bruno, Francisco Simim, nega que o cliente tenha dado o veículo de presente para a vítima. Ele confirma que a motocicleta, uma Kawasaki Ninja, pertence ao goleiro e estava há quase três anos parada na casa da avó de Bruno. “Provavelmente ela foi vendida por alguém da família e não foi transferida”, explica Simim, esclarecendo que o goleiro não pode realizar esse procedimento. Segundo ele, o estado do veículo é precário, e por isso o valor não ultrapassa R$ 20 mil. Ainda de acordo com Simim, caso seja necessário, eles devem acompanhar as investigações do caso.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600