SIGA O EM

Advogados de goleiro Bruno entram na Justiça para anular paternidade

Defensores entraram com ação rescisória contestando no TJRJ a paternidade do filho de Eliza Samudio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/08/2014 11:21 / atualizado em 12/08/2014 11:43

Luana Cruz /

A defesa do goleiro Bruno Fernandes entrou com uma ação rescisória para anular a paternidade do filho de Eliza Samudio. O ex-atleta está condenado a 22 anos e três meses de cadeia pela morte da modelo paranaense, mas ainda contesta a paternidade da criança – que motivou toda a trama criminosa do assassinato da jovem.

Uma decisão Vara da Família do Rio de Janeiro, de 2012, legitima que Bruno é pai do garoto. No entanto, os advogados do goleiro dizem que foi uma “determinação por presunção”. De acordo com o advogado Francisco Simim, a Justiça presumiu que Bruno era pai da criança, sem ter um exame de DNA anexado ao processo.

Segundo o defensor, o goleiro – preso na Penitenciária de Francisco Sá, Norte de Minas – se ofereceu para ceder material para o exame. “Ele não nega, nem afirma a paternidade, ele quer o exame porque teve relação com a moça”, afirma. Conforme Simim, a comprovação da paternidade muda apenas a responsabilidade de Bruno em relação ao garoto, que hoje vive com a avó Sônia de Fátima Moura, mãe de Eliza.

Os advogados protocolaram ação rescisória nessa segunda-feira no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, onde tramitou o processo de paternidade.
Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600