SIGA O EM

Primo de Bruno presta esclarecimentos sobre morte de Sérgio Rosa Sales

Depois de acompanhar as buscas, Jorge Rosa prestou depoimento no Departamento de Investigações. Ele acredita que Luiz Henrique Romão, o Macarrão, esteja envolvido na morte de Sérgio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 701415, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press', 'link': '', 'legenda': 'Jorge Rosa afirmou que S\xe9rgio e Macarr\xe3o tinham uma rixa antiga', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2014/07/25/551966/20140725175030832442i.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': None}]

postado em 25/07/2014 17:44 / atualizado em 25/07/2014 19:16

João Henrique do Vale

Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press

Depois de acompanhar as buscas pelos restos mortais de Eliza Samudio em um lote no Bairro Santa Clara, em Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o primo do goleiro Bruno Fernandes, Jorge Rosa Sales, prestou depoimento no Departamento de Investigações. O jovem foi ouvido pelo delegado-corregedor da Polícia Civil, Luiz Carlos Ferreira, sobre a morte de Sérgio Rosa Sales, outro parente do atleta. Na entrevista concedida à Rádio Tupi, no Rio de Janeiro, além de revelar um suposto local onde teria sido feita a desova da ex-modelo, Jorge disse que suspeitava que Luiz Henrique Romão, o Macarrão, estava envolvido no assassinato.

Sérgio foi assassinado em 22 de agosto de 2012. Segundo as investigações, a motivação seria uma briga passional. Ele teria assediado a amante de Alexandre Ângelo de Oliveira, o Neguinho, de 28 anos. Revoltado, o homem armou um plano com a mulher e o primo de Bruno voltou a assediá-la. Ele acabou morto com vários tiros no Bairro Minaslândia. Denilza Cesário Silva, de 30 anos, foi condenada a 13 anos de reclusão em regime fechado pelo crime.

Na entrevista concedida no Rio de Janeiro, Jorge Rosa afirmou que não acredita nas investigações da polícia sobre o crime. Para ele, o crime foi armado por Macarrão. “Não tem cabimento, porque o Sérgio não mexia com as mulheres dos outros. Pelo contrário, me dava conselho para não mexer com as mulheres dos outros. Ele (Macarrão) tinha muita rixa com o Sérgio por causa de negócios. Os dois não se davam muito bem”, disse. Segundo ele, as brigas entre os dois começaram pela disputa de quem iria administrar o dinheiro do goleiro.

Depois de aproximadamente duas horas de depoimento, Jorge deixou o Departamento de Investigações. Em entrevista, voltou a falar sobre o caso. “Só falei o que achava. Pode ter alguma coisa a ver, porque os dois não se davam bem”, afirmou. O delegado corregedor Luiz Carlos Ferreira, saiu do local sem falar com a imprensa.

Buscas

Mais uma vez, as buscas pelos restos mortais de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes, terminaram sem sucesso. A nova etapa da procura aconteceu no lote vago apontado por Jorge. Com o insucesso na operação, o jovem afirmou que ficou chateado, pois “queria dar um enterro digno” para a mulher. Também disse que pensou na mãe de Eliza para fazer as novas revelações.

O primo de Bruno informou que apontou o local certo e acredita na possibilidade de alguém ter retirado os restos mortais de lá. “Acho que a polícia tem que continuar as buscas no terreno”, comentou, ao deixar o DI.

Veja a entrevista de Jorge à Rádio Tupi

Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600