SIGA O EM

Pedido de transferência de Bruno para Apac de Nova Lima é negado

O juiz da Vara Criminal e da Infância e Juventude de Nova Lima, Juarez Morais de Azevedo, negou a solicitação devido ao goleiro ter cometido uma falta grave na prisão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 632401, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Euler Junior/EM/D.A.Press', 'link': '', 'legenda': 'Goleiro ainda espera avalia\xe7\xe3o de pedido para transferir para pres\xeddio de Montes Claros', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2014/02/04/494994/20140204182934120678o.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': None}]

postado em 04/02/2014 17:50 / atualizado em 04/02/2014 18:32

João Henrique do Vale

Euler Junior/EM/D.A.Press

O juiz da Vara Criminal e da Infância e Juventude de Nova Lima, Juarez Morais de Azevedo, negou o pedido de transferência do goleiro Bruno Fernandes, condenado a 22 anos e três meses de prisão pela morte de Eliza Samudio, para a Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) da cidade. Uma outra solicitação que ainda não foi analisada é a ida do atleta para um presídio de Montes Claros, na Região Norte de Minas Gerais.

O pedido de transferência para Nova Lima foi feito em 13 de novembro de 2013. Os advogados tiveram de apresentar comprovante de residência, pedido de atestado carcerário. O juiz negou a transferência por causa de uma falta grave cometida pelo goleiro em abril de 2013. Bruno foi acusado de ameaçar dois detentos e um agente penitenciário, depois do grupo emitir comentários sobre sua noiva. Por causa da confusão dentro do presídio, ele ficou sem o direito a banho de sol por 30 dias, foi proibido de receber visitas, sair da cela e trabalhar. Em agosto, durante audiência sobre a confusão, ele foi ouvido e negou todas as acusações, mas o juiz Wagner de Oliveira Cavalieri não se convenceu e determinou recontagem da progressão, além da perda de 1/3 dos dias remidos.

O outro pedido de transferência de Bruno será analisado pelo juiz Francisco Lacerda de Figueiredo, responsável pela Vara de Execuções Criminais de Montes Claros. O magistrado ainda aguarda documentos para analisar o caso.

O presidente do Montes Claros Futebol Clube, Vile Mocellin, confirmou o interesse em contratar o goleiro Bruno, caso ele seja transferido para a cidade do Norte de Minas. O dirigente declarou que vem mantendo contatos com os advogados do atleta desde o final do ano passado. Ele assegura o interesse do “Bicho” - como o time é apelidado - é colaborar com a ressocialização do atleta.
Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Jorge
Jorge - 05 de Ferveiro às 06:34
Na minha opinião, o que existe é um complô para tentar livrar a cara de um mandante de crime hediondo que tem dinheiro na caixinha. Esse papo humantário é caô.
 
domicio
domicio - 05 de Ferveiro às 05:00
Que parentes Bruno tem em moc para cumprir pena la
 
jc
jc - 05 de Ferveiro às 01:06
E a reportagem coloca uma foto do vagabundo chorando como se fosse um pobre coitado.....por favor vamos ser mais profissionais....marginal de que arder no marmore do inferno
 
Marcelo
Marcelo - 04 de Ferveiro às 21:00
Coitadinho do bruninho.........Safado; fosse na China já teria levado um tiro na nuca
 
Katia
Katia - 04 de Ferveiro às 19:37
Pois eu acho que a APAC vai fazer um bem enorme a ele. Vai aprender a trabalhar de verdade e a ter mais humildade e responsabilidade.
 
Nilson
Nilson - 04 de Ferveiro às 19:33
Abriram exceção para alguns bandidos trabalharem, agora todos se julgam no direito de fazer o mesmo. Os políticos bandidos arrasam o país, de todas as formas.
 
lucas
lucas - 04 de Ferveiro às 18:21
KKKKKKKKKKK... um dos bandidos de maior periculosidade no estado na exemplar APAC? Manda esse vagabundo pra cadeira elétrica logo.. isso aí é raça ruim!