SIGA O EM

Contagem regressiva para o julgamento do goleiro Bruno

Júri popular está marcado para o próximo dia 19 no Fórum de Contagem

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/11/2012 06:00 / atualizado em 09/11/2012 07:11

Landercy Hemerson

JAIR AMARAL/EM/D.A PRES

Às vésperas do julgamento do goleiro Bruno Fernandes e mais quatro acusados de envolvimento com desaparecimento e morte da modelo Eliza Silva Samudio, marcado para o dia 19, as atenções do Judiciário vão além das ameaças da defesa dos réus de adiar o júri. Ontem, começaram as obras de manutenção no Tribunal do Júri de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, para garantir que o espaço, que vai abrigar um público de 100 pessoas, esteja preparado para receber um dos mais esperados júris da história recente da Justiça brasileira.

Além da infraestrutura predial, à tarde foi realizada reunião com pessoal da área administrativa e de segurança do Tribunal de Justiça, para cuidar de detalhes para garantir o julgamento. Representantes do 18º Batalhão da PM, que responde pelo policiamento da área em que se encontra o Fórum de Contagem, e da Transcon, empresa que gerencia o trânsito na cidade, foram convocados para discutir quais procedimentos serão adotados com relação à segurança e o trânsito local.

O responsável pela administração do fórum, Herberth Neiva, informou que há um ano vem solicitando a manutenção do prédio. Uma verba de R$ 1,2 milhão foi liberada para as reformas em 34 fóruns no estado, e no caso de Contagem, coincidiu com o julgamento do caso Eliza Samudio. Segundo Herberth, além de manutenção no teto, para evitar goteiras, a rede elétrica está sendo ampliada no Tribunal do Júri para atender os advogados dos cinco réus, que podem somar cerca de 20 profissionais. As paredes externas do prédio do fórum estão sendo pintadas.

Petições

De um total de 38 volumes no começo do mês passado e quase 9,5 mil páginas, ontem o processo do caso Eliza Samudio já chegava a 59 volumes e mais de 12 mil páginas. Pelo menos duas petições estão sendo encaminhadas diariamente à juiza do caso, Marixa Fabiane. Vai desde pedido para que testemunha, que se encontra presa, compareça sem uniforme da cadeia; troca de testemunhas; reforço de intimação de testemunhas. Há também expectativa de que a defesa entre com recursos no Supremo Tribunal Federal tentando suspender o julgamento. O advogado Francisco Simin, que representa Bruno e a ex-mulher do goleiro, Dayanne Rodrigues, disse que hoje estará em Brasília para entrar com recurso visando adiar o júri.

O caso

De acordo com a denúncia oferecida à Justiça pelo Ministério Público, em 4 de junho de 2010, Luiz Henrique, o Macarrão, amigo e funcionário de Bruno, com ajuda de um adolescente sequestrou a modelo Eliza Samudio e o bebê dela, filho do goleiro, no Rio de Janeiro. A mulher veio contra sua vontade para Minas e ficou em cativeiro no sítio do jogador.

No dia 10 daquele mês, ela teria sido morta estrangulada pelo ex-policial Marcos Aparecido, o Bola. A ex-mulher de Bruno Dayanne se encarregou de cuidar da criança no sítio. Fernanda Gomes, ex-namorada de Bruno, teria participado do sequestro de Eliza. Esses cinco acusados serão levado ao banco dos réus no dia 19. Há mais dois envolvidos, que serão levados a júri posteriormente.