SIGA O EM

Julgamento do goleiro Bruno é marcado para novembro

O esquema do júri ainda não foi divulgado pelo TJMG, mas os sete réus e seus respectivos advogados foram convocados para a sessão, inclusive aqueles que respondem ao processo em liberdade.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/10/2012 14:19 / atualizado em 08/10/2012 14:34

Cristiane Silva , Luana Cruz /

O julgamento do goleiro Bruno Fernandes de Souza está marcado para as 9h do dia 19 de novembro deste ano. A decisão foi publicada no último dia 5 pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). O advogado do goleiro Bruno, Rui Pimenta, disse que está ansioso para o dia do julgamento. “Quando mais rápido acontecer a sessão, mais rápido ele vai para rua”. O defensor acredita na absolvição do ex-atleta.

O esquema do júri ainda não foi divulgado pelo TJMG, mas os sete réus e seus respectivos advogados foram convocados para a sessão, inclusive aqueles que respondem ao processo em liberdade. No momento da audiência pode haver desmembramento do processo, caso as defesas queiram prioridade nos julgamentos.

O prazo para os advogados do réus do caso Bruno pedirem novas diligências terminou na última segunda-feira, o que já sinalizava que o julgamento estaria próximo. A juíza de Contagem, Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, intimou as defesas de Fernanda, Macarrão e Bola para se adequar ao artigo 422 do Código de Processo Penal, pois arrolaram mais de cinco testemunhas de defesa para seus clientes.

Entenda o caso

– De acordo com as acusações do processo, em 4 de junho de 2010 Macarrão e um adolescente sequestraram Eliza e o bebê, a agrediram e a levaram para a casa do goleiro no Recreio dos Bandeirantes, no Rio de Janeiro.
– No dia seguinte, Eliza foi trazida para Contagem, na Grande BH, e depois para o sítio do goleiro, em Esmeraldas, onde teria sido mantida em cativeiro até ser morta, em 10 de junho.
– O homicídio teria ocorrido à noite, em Vespasiano, num imóvel do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, que teria estrangulado Eliza com a ajuda de Macarrão. O ex-policial também sumiu com o corpo, que ainda não foi encontrado.
– O filho de Eliza foi levado de volta ao sítio. Lá, Bruno, Macarrão, Sérgio Sales e o adolescente queimaram a mala e as roupas da vítima.
– Os acusados foram para Ribeirão das Neves e de lá para o Rio em um ônibus que transportava o time mantido por Bruno.
– Dayanne, ex-mulher do goleiro, ficou com o bebê no sítio. Em 18 de junho, ela viajou e deixou a criança com Elenilson e Wemerson. O garoto foi entregue para uma mulher, que o repassou para outra.
– O bebê foi localizado pela polícia, depois de denúncia da morte de Eliza. Todos os envolvidos foram presos e denunciados à Justiça.
– Atualmente, apenas Bruno, Macarrão e Bola aguardam julgamento em penitenciárias.
Tags: