SIGA O EM

Bombeiros escavam local apontado por denúncia sobre onde estaria o corpo de Eliza

Com enxadas, pás e picaretas, os militares começaram a cavar entre duas palmeiras às 14h30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 461450, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press', 'link': '', 'legenda': 'Pol\xedcia Civil fez uma vistoria no terreno antes de come\xe7ar as buscas', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2012/08/28/314332/20120828151119546056a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': None}]

postado em 28/08/2012 14:35 / atualizado em 28/08/2012 15:30

João Henrique do Vale

Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press
 

Os bombeiros chegaram ao condomínio Residencial Turmalina, onde fica o sítio que pertenceu ao goleiro Bruno Fernandes, em Esmeraldas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e já começaram os trabalhos para tentar encontrar os restos mortais de Eliza Samudio. Com enxadas, pás e picaretas, os militares começaram a cavar entre duas palmeiras às 14h30. O local teria sido indicado pela denúncia anônima recebida pela polícia na noite de segunda-feira.

A pessoa que fez a denúncia indicou duas palmeiras como referência da localização da ossada na entrada do sítio. As informações fizeram com que policiais, bombeiros e peritos fossem para o sítio ainda na madrugada desta terça-feira. Porém, não puderam entrar na propriedade sem o mandado judicial.

O delegado Alex Araújo Soares, da Delegacia de Esmeraldas, afirmou que conversou com os advogados do atual dono da propriedade e do Residencial Turmalina, que autorizaram a entrada dos policiais. De acordo com Soares, o dono do sítio passou características do terreno que divergiam das características passadas na denúncia. Mas, alguns pontos conferem.

Depoimentos

A denúncia anônima sobre a localização dos restos mortais da ex-namorada foi feita em um momento em que dois personagens do caso sofreram atentados. O primeiro deles foi o primo do goleiro, Sérgio Rosa Sales, que foi assassinado a tiros no Bairro Minaslândia, em Venda Nova, Belo Horizonte. Menos de uma semana depois, mais precisamente no domingo, o ex-motorista do atleta, Cleiton da Silva Gonçalves, também foi baleado. A polícia não confirma se as ocorrências tem ligação com o sumiço de Eliza.

No início da tarde desta terça-feira, Cleiton foi para o Departamento de Investigações (DI), no Bairro Lagoinha, Noroeste de BH, para prestar depoimento. Também foi ouvida pelo chefe do Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Wagner Pinto, a amante de Luiz Henrique Romão, o Macarrão, amigo do goleiro Bruno e réu do processo. O teor das oitivas e mais informações sobre as buscas pelos restos mortais de Eliza, serão repassadas por Wagner Pinto ainda nesta tarde.

Também foi ouvido no Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional (Cia-BH), o primo do goleiro Bruno, Jorge Luiz Rosa, de 18 anos. Ele deve ser levado para o DI onde será ouvifo por Wagner Pinto.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Daniel
Daniel - 29 de Agosto às 09:12
Coitado do atual dono do sítio, daqui a pouco o sítio vira queijo suíço! Se quem matou foi o bola, então ele sabe onde o corpo está. Mas a PC tem que perguntar rápido porque daqui a pouco não sobra ninguém pra contar história.
 
Cláudio
Cláudio - 28 de Agosto às 15:22
Que Deus abençõe a Policia Civil e aos bombeiros que estão empenhados e que esse caso definitivamente, seja elucidado! Muitas divergências, um caso tumultuado, muitas mentiras por parte dos envolvidos e a cada dia que passa, a 'luz no fim do túnel torna-se mais difícil'.
 
Full
Full - 28 de Agosto às 15:00
Eles vão cavar e vão encontrar uma urna com um bilhete dentro: 1º DE ABRIL SEUS BOBÕES!