SIGA O EM

Defesa de Macarrão pede desmembramento de processo sobre morte de Eliza Samudio

Segundo o TJMG, a defesa d réu pediu que o caso dele fosse separado dos outros outros acusados para adiantar o julgamento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 435814, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Maria Tereza Correia/EM/D.A Press. ', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2012/05/24/296162/20120524091443774993o.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': None}]

postado em 24/05/2012 09:09 / atualizado em 24/05/2012 09:38

Luana Cruz /

Maria Tereza Correia/EM/D.A Press.

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) informou na manhã desta quinta-feira que a defesa de Luiz Henrique Romão, o Macarrão, amigo do goleiro Bruno, pediu o desmembramento do processo sobre o desparecimento e morte de Eliza Samudio.

De acordo com o TJMG, quatro réus foram pronunciados pela juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues em dezembro de 2010 e desde então entraram com vários recurso no próprio tribunal e em outras instâncias. Esse recursos de cada advogado travam o andamento do processo e agilidade no julgamento.

Agora, a defesa de Macarrão pediu que o caso dele fosse separado dos outros outros réus para adiantar o julgamento. Ele foi o único acusado que não teve recursos impetrados pós sentença de pronúncia, conforme informou o TJMG. O desmembramento deve ser julgado pelo desembargador Herbert Carneiro, mas ainda não há previsão.

O goleiro Bruno, o primo dele, Sérgio Rosa Sales e o amigo Macarrão, foram pronunciados por homicídio triplamente qualificado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver. O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, vai a júri popular pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver. Todos são acusados de envolvimento na morte da modelo que aconteceu em junho de 2010.

Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Henrique
Henrique - 24 de Maio às 14:07
Esse e o Bola, vão pagar sozinhos pelo crime, se seus advogados não ficarem espertos. O chefão sai numa boa.