SIGA O EM

Júri popular

Defesa de Bruno promete recorrer de decisão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 18/12/2010 07:17 / atualizado em 18/12/2010 07:33

Landercy Hemerson

O advogado do goleiro Bruno, Cláudio Dalledone, afirmou que vai recorrer da sentença de pronúncia da juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, do Tribunal do Júri de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Nessa sexta-feira, a magistrada determinou que o jogador e mais sete acusados do desaparecimento e morte da modelo Eliza Samudio, de 25, vão a júri popular.

Ele considerou que a juíza foi severa em demasia nas acusações. Já o advogado Zanone Oliveira, que defende o ex-policial Marcos Aparecido, disse que não se surpreendeu, porque, em sua avaliação, já havia um pré-julgamento na fase de instrução processual. Ele, porém, sustenta que a acusação saiu enfraquecida, opinião compartilhada por Dalledone, pois a denúncia de envolvimento dos outros quatro acusados no homicídio foi descartada, contrariando a denúncia do MP. Também não foi levada adiante a acusação de formação de quadrilha.

O promotor Gustavo Fantini de Castro informou por meio da assessoria do Ministério Público, que não falaria sobre a decisão da juíza Marixa Rodrigues, pois não tinha conhecimento do teor dela. Ele também não confirmou se vai recorrer da sentença de pronúncia. Ao longo da instrução processual, que durou três meses, foram ouvidas 160 testemunhas entre as de defesa e as de acusação. A última delas, o delegado Wagner Pinto, chefe da Divisão de Crimes contra a Vida, no dia 10.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
silvio
silvio - 28 de Dezembro às 10:12
EM NENHUM MOMENTO, A JUSTIÇA DE MINAS IRÁ SER CONSIDERADA NEGLIGENTE, CASO OS JURADOS BASEADOS NAS FALTAS DE PROVAS, VIEREM A INOCENTAR OS ACUSADOS, POIS A JUSTIÇA DE MINAS, TERÁ FEITO O SEU TRABALHO, O QUE NÃO PODE, É INFLUENCIAR NOS JURADOS, PELO FATO DA MIDIA TER FEITO UM CARNAVAL COM O CASO!!!
 
silvio
silvio - 28 de Dezembro às 10:04
o juizo no rj, se deparou infelizmente mais como emoção, e não como razão, devido a grande repercursão do caso. Porém ao rever o recurso do réu , será certificado, que a vitima poderia sim num momento de puro interesse, colocar suas palavras para dúbia interpretação. QUEM VAI DECIDIR !!!
 
Dirceu
Dirceu - 19 de Dezembro às 04:26
Quando o dinheiro de Bruno acabar, não vai ter Quaresma, Dalledone, Marias Chuteiras e nem os falsos amigos. Seus únicos amigos vão ser o Tio Nelsinho e Dayane mãe dos seus filhos. Quem não sabe assar come cru. Aguardem.....
 
Ju
Ju - 18 de Dezembro às 21:48
A Juíza não descartou a participaçao dos acusados, conforme os advogados querem que as pessoas acreditem. Ela apenas consentiu que eles respondessem o processo em liberdade, considerando q a participaçao deles no crime é menor. Mas são culpados tb e irão pagar por isso.
 
Nilson
Nilson - 18 de Dezembro às 10:56
Recorrer é um direito. Mas, com certeza irá perder em todas as instâncias, a justiça mineira não pode ficar pior que está, lugar de bandido é na cadeia.