SIGA O EM

OAB vai investigar advogado de Bruno viciado em crack

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/11/2010 19:07

Agência Estado

A Comissão de Ética da seção mineira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MG) instaurou um procedimento para apurar a conduta do advogado Ércio Quaresma, que representa o goleiro Bruno Fernandes de Souza, acusado de ser o mandante do desaparecimento e já considerada morte da ex-amante Eliza Samudio. Conhecido pelas atitudes polêmicas, o advogado poderá ser suspenso preventivamente pela OAB, o que o impediria de continuar à frente do caso.

Ele aparece em um vídeo da TV Alterosa - afiliada do SBT em Belo Horizonte - fumando crack, supostamente em uma boca de fumo localizada na região noroeste da capital mineira. Ciente da gravação, Quaresma se antecipou à veiculação do vídeo e admitiu em entrevista à emissora que é dependente da droga e luta há oito anos contra o vício.

Desde o início das investigações envolvendo o desaparecimento da ex-amante do goleiro foram abertos quatro procedimentos disciplinares contra o advogado na OAB. A conduta de Quaresma tem causado constrangimento na seção mineira da ordem.

A entidade requisitou o vídeo em que ele aparece consumindo crack. "A OAB está estudando a aplicação ou não de uma medida preventiva para a suspensão dele até que os processos sejam julgados. A turma do Tribunal de Ética vai julgar se é o caso ou não de suspensão", disse hoje o presidente da entidade, Luís Cláudio da Silva Chaves, ao alegar que a medida busca "preservar os clientes" do advogado. "A gente lamenta, uma droga grave dessas."

A OAB, disse Chaves, pretende realizar um rito célere depois que o defensor de Bruno for notificado. Hoje, a reportagem procurou Quaresma, mas a informação em seu escritório era que ele estava em viagem. Na semana passada, durante audiência de instrução com depoimentos dos réus, o advogado disse a interlocutores que já esperava pela divulgação do vídeo. A gravação estaria sendo oferecida a emissoras de TV e jornais.

Prisão

No ano passado, Quaresma chegou a ser preso com pedras de crack escondidas na boca em uma favela de Belo Horizonte. Na entrevista à emissora mineira, ele contou que há um ano e meio buscou ajuda profissional especializada para se livrar do vício, mas nesse período teve três recaídas.

Ex-policial na década de 1980, o advogado de 46 anos chegou a concorrer como candidato ao governo de Minas Gerais em 1994 e gosta de contar que trabalhou em outros casos de repercussão nacional - o assassinato da missionária norte-americana Dorothy Stang e massacre de 19 sem-terra em Eldorado dos Carajás, ambos no Pará.

Assista ao vídeo: