SIGA O EM

Polícia Civil nega denúncias do primo de Bruno

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
Terminou por volta de 17h mais uma audiência da fase de instrução e julgamento do processo sobre o desparecimento e morte de Eliza Samudio. A audiência foi marcada pelo clima de comoção de Dayanne Rodrigues e do goleiro Bruno pela presença das filhas do casal que acompanharam a audiência. O ex-jogador foi recepcionado, de manhã, pelas meninas na porta do Fórum de Ribeirão das Neves. As garotas seguravam faixas de homenagem ao pai e foram agraciadas à distância com beijos de Bruno.

A juíza Lucimeire Rocha ouviu nesta quarta-feira 10 testemunhas de defesa. A intervenção que surpreendeu os participantes da sessão foi a de Sérgio Rosa Sales. O primo de Bruno pediu à juíza para autorizar a troca de advogado, ele quer destituir Marco Antonio Siqueira e pretende ser defendido por Wiler Vidigal. Sérgio afirmou que só nomeou Siqueira como seu defensor porque foi intimidado por delegados.

O acusado teria dito que foi torturado pelo chefe da Delegacia de Homicídios, Edson Moreira. Sobre esta denúncia a Polícia Civil informou por meio de nota que o defensor de Sérgio “acompanhou os depoimentos dos indiciados durante o inquérito policial, inclusive procedimentos como acareações, tendo assinado o documento com as declarações tomadas. Em nenhum momento o indiciado sofreu algum tipo de constrangimento. Além do advogado de defesa, Marco Antonio Siqueira, o processo teve acompanhamento de representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), inclusive nos depoimentos e acareações.”