SIGA O EM

Suspeitos da morte de Eliza Samúdio ainda estão soltos, diz morador de Neves

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/10/2010 15:26 / atualizado em 20/10/2010 16:29

Elaine Pereira /

Um morador de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) garantiu nesta quarta-feira que há mais envolvidos na morte de Eliza Samúdio e que eles estão fora das grades. A testemunha concedeu entrevista ao programa TV Verdade, da TV Alterosa, na tarde desta quarta-feira e fez revelações exclusivas sobre o caso. De acordo com o entrevistado, o suspeito de executar o crime contra a jovem Eliza Samúdio, Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, é apenas um deles. Os outros dois nomes pelos quais ele é identificado - Nenem e Paulista - seriam de outras duas pessoas.

"Se você rodar por Neves e procurar um pouco vocês vão saber que são três pessoas diferentes. Então, a gente fica até meio com receio de falar. Mas, é.. acho que é questão de pressão de alguma parte, eles preferiram fazer uma fusão com as três pessoas se tornando uma, que provavelmente é o Bola", afirma o entrevistado.

De acordo com a fonte, que não quis se identificar, estes dois outros suspeitos estariam livres como se nunca tivessem conhecido o Bruno. "São três pessoas distintas, do convívio do Bruno e que sempre estiveram do lado dele. Ele sempre teve o apoio dessas pessoas para muitas atitudes", afirma a fonte. De acordo com a fonte, Bruno ainda não falou sobre estes outros dois envolvidos por causa de alguma ameaça que a família pode ter recebido e para evitar problemas quando sair da cadeia.

Questionado sobre quem seria o Nenem, o entrevistado diz que ele seria um traficante da região que patrocinava a alegria das festas realizadas no sítio de Bruno em Neves. Ainda segundo o entrevistado, o segundo envolvido, o Paulista, também vive em Ribeirão das Neves como sombra. "É só procurar que acha", conclui o entrevistado.
Assista ao vídeo e veja as revelações polêmicas


A testemunha entrevistada pelo TV Verdade diz ainda que o corpo de Eliza Samúdio pode ter estar em pontos tradicionais de desova do município. "A polícia procura por muitos lugares prováveis, onde é de costume passar. Mas eu acho que se eles fizessem uma varredura por Neves e outros lugares onde são colocados como ponto de desova, tipo bairros como Rosa Neves, Santinho e alguns outros bairros de Neves, eu creio que devem encontrar alguma coisa ou até esclarecer casos que até hoje a justiça não conseguiu esclarecer", diz. A Lagoa das Traíras, também em Neves, também foi apontada como um dos possíveis pontos de desova do corpo.

Para a fonte, Ribeirão das Neves seria um lugar 'ideal' para a desova do corpo de Eliza porque a polícia por causa do tráfico de drogas- que é intenso - e a briga de gangues, problemas que dificultariam o acesso da polícia a alguns lugares.

Procurado pelo programa, o chefe da Delegacia de Homicídios, delegado Edson Moreira, afirmou que a testemunha está equivocada sobre a possibilidade de existirem suspeitos soltos e que a polícia já esteve em todos os locais em que o corpo poderia estar. Para o delegado, o entrevistado está inventando e, no caso de as denúncias serem mesmo verdade, a testemunha deveria procurar a polícia.