SIGA O EM

Caseiro confirma que Eliza esteve no sítio de Bruno

Segundo José Roberto Machado ela não tinha nenhum ferimento na cabeça

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/10/2010 12:31 / atualizado em 13/10/2010 13:12

Ernesto Braga

A juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, do 1º Tribunal do Júri de Contagem, continua a ouvir algumas testemunhas do desaparecimento de Eliza Samudio. O primeiro a ser ouvido nesta quarta-feira foi o caseiro José Roberto Machado, que trabalhava no sítio do goleiro Bruno. Durante depoimento ele confirmou que Eliza esteve no sítio.

Contestado se ela ficou trancada em quarto do sítio, o caseiro negou e afirmou que Eliza andava por todo o local em companhia de uma criança. José disse, ainda, que não viu nenhum ferimento na cabeça da mulher. Além disso, contou que nunca viu nem o ex-policial civil Marcos Aparecido, o Bola, e nem Fernanda no sítio.

Estão previstas para serem ouvidas nesta quarta-feira mais 13 testemunhas; Gilda Maria Alves, que é mulher de José Roberto Machado; o policial civil lotado da Delegacia de Homicídios de Contagem, Sirlan Versiane Guimarães, que recebeu a denúncia anônima sobre o desaparecimento de Eliza Samúdio; os delegados Edson Moreira, Ana Maria Santos, Alessandra Wilke e Wagner Pinto e mais sete testemunhas.