Publicidade

Estado de Minas

Juíza impede entrada de OAB em audiência do Caso Bruno


postado em 08/10/2010 13:56 / atualizado em 08/10/2010 14:00

O secretário-geral da Ordem dos Advogados do Brasil de Minas Gerais (OAB/MG), Sérgio Murilo Diniz Bragam está indignado porque não conseguiu entrar na audiência de instrução e julgamento do Caso Bruno, nesta sexta-feira. O acesso da OAB/MG foi negado pela juíza que preside a sessão, Marixa Lopes Rodrigues.

Segundo a OAB/MG, familiares e advogados dos envolvidos no desaparecimento de Eliza Samudio solicitaram a presença de um representante da instituição na audiência. Murilo Diniz Braga foi até o local, mas recebeu um comunicado formal do escrivão do fórum dizendo que a juíza não autorizou a entrada da OAB.

Em nota a OAB informou que :”segundo o presidente da OAB/MG, Luís Cláudio Chaves, a medida adotada pela magistrada é um desrespeito com a Lei Federal 8906/94 e a Seccional mineira repudia veementemente a restrição imposta que prejudica não só as boas relações entre a magistratura e a advocacia naquela Comarca, bem como o respeito aos jurisdicionados que confiam na OAB como uma entidade independente e autônoma que zela pela legalidade nos procedimentos.”

A OAB/MG afirma que vai entrar com pedido de medidas punitivas na Corregedoria do Tribunal de Justiça de Minas Gerais e do Conselho Nacional de Justiça.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade