SIGA O EM

Advogado não liga Bola ao goleiro Bruno

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/07/2010 08:17 / atualizado em 24/07/2010 12:00

Pedro Ferreira

Paulo Filgueiras/EM/D.A Press

O advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior, defensor do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, de 47 anos, disse nessa sexta-feira desconhecer a informação passada pelo próprio goleiro Bruno de que ele conhecia seu cliente, apontado pela polícia como o executor de Eliza Samudio. “Não sei o teor desse vídeo, mas vou analisar se um conhece o outro e qual a ligação entre eles, se é que existe”, disse o advogado, referindo-se à gravação de um diálogo de Bruno com um agente penitenciário na prisão, exibido quinta-feira com exclusividade pelo SBT/Alterosa.

Assista ao vídeo exclusivo

O goleiro está recolhido na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, e na imagem demonstra tranquilidade e ainda canta a música Faroeste caboclo, do Legião Urbana. Bruno diz que ele e seu amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, preso na mesma unidade, conheciam o ex-policial. “O Bola a gente já conhecia. O negócio do Bola é que a gente ia arrumar um teste para o filho dele. Tem 21 anos o filho dele, 20 anos, não sei…”, diz o goleiro na gravação, alegando que não sabia do passado de Bola, como o envolvimento dele com homicídios.

O delegado Edson Moreira não comentou as declarações de Bruno. Ao ser perguntado sobre a intenção do goleiro de entrar com ação na Justiça contra o Estado, por mantê-lo preso sem provas do envolvimento no suposto assassinato, o delegado respondeu que tem provas cabais e testemunhais.

Confira o especial Caso Bruno

Na manhã de dessa sexta, o advogado Zanone esteve no DI, acompanhado da mulher de Bola, Maria Denizlei Pereira dos Santos, de 42, e da filha Míddian Kelly dos Santos, de 23. As duas foram assinar o termo de restituição dos cães e do Citröen, apreendidos durante buscas pelo corpo de Eliza na casa do acusado, em Vespasiano, Grande BH.

Dos 10 cães recolhidos no Centro de Zoonose da prefeitura de BH, um da raça sharpei e um vira-latas contraíram leishmaniose e a família de Bola autorizou o sacrifício. Os outros oito são da raça rottweiler, seis filhotes (dois deles morreram por outros males) e dois adultos, o de nome Panto, que teria sido alimentado pelo ex-policial com partes do corpo de Eliza, e uma fêmea chamada Princesa.

Quinta-feira, peritos rasparam o pelo dos cães, perto da boca, para exames com luminol. A polícia procura possíveis manchas de sangue de Eliza, mesmo transcorrido mais de um mês da data em que ela teria sido assassinada. A família de Bola estuda a possibilidade de cobrar do Estado a restauração da casa onde a polícia fez escavações e derrubou paredes procurando o corpo da modelo.

Transferência

O advogado Marco Antônio Siqueira, defensor de Sérgio Rosa Sales, primo do goleiro, pediu nessa sexta ao delegado Edson Moreira que seu cliente seja levado de volta para as carceragens do Ceresp São Cristóvão, no Bairro Lagoinha. Quinta-feira, depois de participar da audiência de instrução e julgamento do adolescente, no Juizado da Infância e da Juventude de Contagem, Sérgio foi transferido para a Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, onde também estão, além de Bruno, Macarrão, Wemerson Marques (Coxinha), Flávio Caetano Araújo e Marcos Aparecido dos Santos.