SIGA O EM

Amante diz que cuidou do filho de Eliza Samudio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/07/2010 20:22

Pedro Ferreira

Apontada como uma das amantes de Bruno, a auxiliar administrativo desempregada Fernanda Gomes de Castro, de 32 anos, revelou que, sem saber da identidade da criança, cuidou do filho de Eliza Samudio, na casa do goleiro, no Rio de Janeiro. Ela detalhou seus últimos momentos com o jogador, o amigo dele Macarrão e o adolescente de 17 anos antes do sumiço da modelo. Ela negou conhecer Eliza. Sobre a relação amorosa, revelou o desejo de Bruno em ter um filho homem - ele tem duas filhas com a mulher Dayanne Rodrigues – e do fim do noivado do atleta com a dentista Ingrid, que teria “ciúme doentio”.

A auxiliar administrativo relata que na semana que antecedeu o sumiço de Eliza, a avó de Bruno, Dona Estela, que o criou, e duas tias, Beth e Aparecida, estiveram na casa do Recreio dos Bandeirantes, retornando todas para Belo Horizonte na sexta-feira, 4 de junho. Na mesma data, Bruno estava na concentração para o jogo no sábado contra o time do Goiás e Fernanda disse ter voltado para a casa dela, no Bairro Santa Cruz, também no Rio. Na casa de Bruno também estavam dois irmãos do adolescente de 17 anos envolvido no sumiço de Eliza.

Ainda na sexta-feira, Fernanda conta que Macarrão telefonou, pedindo para que voltasse à casa de Bruno. Lá já estava o menor supostamente envolvido no sumiço da modelo. Ela diz que Macarrão “implorou” para que ela tomasse conta de uma criança, afirmando que era filho de uma amiga dele que havia sofrido um assalto e estava no hospital. “O bebê chorava muito, mas tinha mamadeira na bolsa dele”, conta Fernanda. Ela diz ter dormido com a criança no quarto de Bruno.

O bebê, segundo ela, teria sido devolvido a Macarrão ao final da manhã do sábado, 5 de junho, quando Fernanda o questionou sobre a mãe da criança. A resposta foi a de que ela tinha ido à delegacia registrar queixa do assalto. Antes de ir embora, Fernanda conta que retirou seu carro da garagem para comprar fraldas para o bebê e viu a Range Rover de Bruno estacionada, a mesma que foi apreendida no dia 8 numa blitz em Contagem, com sangue de Eliza.

“Voltei às 18h para a casa do Bruno e não vi mais a criança e nem”, contou Fernanda. Ela relatou que Bruno apareceu às 23h30, com uma BMW, dizendo que testava o veículo para comprá-lo. Ambos, contou, viajaram para Minas. Numa parada de ônibus na BR-040, Fernanda diz ter se surpreendido com a presença de Macarrão e do menor, mas sustenta não ter visto mais alguém na Range Rover.

Já em Ribeirão das Neves, conta, foi a um bar e, mais tarde, o casal seguiu para um motel. Fernanda relata que, na madrugada de domingo, foi acordada no motel com Macarrão gritando por Bruno. “Aí, você está me seguindo?”, teria perguntado o goleiro ao amigo. Macarrão teria se hospedado. A polícia trabalha com a hipótese de que havia duas mulheres no grupo e uma delas era Eliza Samudio.

O grupo teria saído junto do local. Fernanda diz que seguiu na Range Rover, só com Macarrão e com o menor. Teriam ido ao futebol, à tarde, e a um bar. De lá, já à 1 h de segunda, para o sítio de Bruno, em Esmeraldas, onde teriam dormido. Assegura que também lá não viu Eliza ou o bebê. Ela afirma ter retornado ao Rio na segunda. E negou ter presenciado o sequestro de Eliza no Hotel Transamérica, como contou o menor.