SIGA O EM

Suspeitos do sumiço de Eliza chegam ao julgamento do adolescente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 22/07/2010 13:25 / atualizado em 22/07/2010 17:49

O goleiro Bruno Fernandes de Souza, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, e Sérgio Rosa Sales, chegaram por volta das 13h30, a Vara da Infância e Juventude em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde acontecerá o julgamento do menor de 17 anos envolvido no suposto assassinato da modelo Eliza Samudio, de 25 anos, ex-amante de Bruno. Além deles, José Carlos da Silva, que avisou a polícia do crime depois de ser informado pelo menor, vai ser ouvido através de carta precatória, enviada ao Juizado da Infância do Rio de Janeiro. A audiência será presidida pelo juiz Elias Charbil Abdou Obeid e contará com a presença do promotor Leonardo Barreto Moreira Alves.

O goleiro Bruno, Macarrão, Sérgio e Marcos Aparecido estão recolhidos na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem. Durante o julgamento eles serão mantidos em salas diferentes, incomunicáveis, vigiados por policiais militares. Como serão ouvidos como testemunhas no procedimento contra o menor, os presos tem o direito de permanecer calados.

Depois da audiência, o juiz dará prazo entre 24 horas a cinco dias para as partes, advogados de defesa e promotor, apresentarem suas alegações finais, que serão juntadas ao processo e os autos conclusos para sentença, que pode ser dada em até 30 dias. O menor será julgado com base no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e a pena máxima não pode ultrapassar três anos de internação.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Marcos
Marcos - 22 de Julho às 17:02
Olha voces dizem que eles estao condenados?
 
manuella
manuella - 22 de Julho às 15:51
A imprensa é a culpada dessa inquisição toda .Eles estão sendo jogados a cova de leões, sem prova nenhuma.A cada depoimento a história muda.Menos a imprensa, com sede de notícia condenam sem provas convincentes.Aqui nada é sério, nada é confiável!
 
Neuza
Neuza - 22 de Julho às 13:42
A chegada dele é o de sempre, dúzias de doidos gritando assassino! Assassino! Centenas de repórteres, Bruno vc é inocente? Da uma palavrinha com a agente! Fora as caras que os policiais que o conduzem fazem frente às câmeras, parecendo figurante de novela, tentando n olhar a câmera Coisa deprimente!
 
Neuza
Neuza - 22 de Julho às 13:38
Arrolar o cara como testemunha, so pode ser uma tentativa desesperada de faze-lo falar alguma coisa que possa ser usada contra ele, ou ter o que mostrar pra imprensa que anda repetindo imagens ja que ele disse que nao vai falar e pode fazer isto...