SIGA O EM

Habeas corpus

Defesa aguarda fim de recesso para recorrer ao STJ

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/07/2010 10:51 / atualizado em 22/07/2010 12:05

Liliane Luchin /TV Alterosa , Priscila Robini /

O advogado Frederico Franco, que atua com Ércio Quaresma na defesa do goleiro Bruno, afirmou que os advogados vão aguardar o final do recesso do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para entrar com um recurso contra a negativa de habeas corpus para o goleiro no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Franco esteve no Departamento de Investigações (DI) na manhã desta quinta-feira para buscar parte do inquérito sobre o desaparecimento de Eliza Samudio que faltava para os defensores.

O STJ retomará as atividades no dia 2 de agosto, quando os advogados mineiros podem apresentar o documento. Os advogados Ércio Quaresma Firpe e Claudineia Carla Calabund, que defendem o goleiro solicitaram ao TJMG a tutela antecipada (liminar), na tentativa de garantir que Bruno e mais cinco suspeitos, respondessem ao inquérito policial em liberdade. O pedido foi negado no dia 15 de julho.

Audiência de adolescente

A expectativa durante esta quinta gira em torno da audiência de instrução e julgamento do adolescente, primo de Bruno, que confessou participação no sumiço de Eliza. O início do julgamento está previsto para a tarde, no Juizado da Infância e da Juventude de Contagem, e contará com a presença de Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão; do ex-policial civil, Marcos Aparecido dos Santos, o Bola; de Sérgio Rosa Sales, tio do garoto; e do goleiro Bruno.

Eles foram chamados como testemunhas e a defesa analisa como eles vão se comportar durante a audiência. Até esta manhã, os suspeitos de envolvimento no caso permaneceram calados durante os diversos depoimentos prestados à polícia. Além dos investigados no caso, estarão presentes o juiz Elias Charbil Abdou Obeid, que vai presidir a audiência, e do promotor Leonardo Barreto. A sentença pode ser dada em até 30 dias.

Confira o especial sobre o caso Bruno