SIGA O EM

Delegadas afastadas não deixaram o inquérito do caso

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/07/2010 10:18 / atualizado em 21/07/2010 18:01

Priscila Robini /

Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press

As delegadas Alessandra Wilke e Ana Maria Santos, da Delegacia de Homicídios de Contagem, que foram afastadas da presidência do inquérito que investiga o desaparecimento e a morte de Eliza Samudio, continuam atuando no caso. Elas acompanharam o depoimento da suposta amante do goleiro Bruno, Fernanda Gomes de Castro, na tarde de terça-feira, no Departamento de Investigações, em Belo Horizonte.

A assessoria da Polícia Civil informou que, embora tenham sido afastadas da presidência do inquérito, elas acompanharam grande parte da apuração dos fatos e podem continuar contribuindo com as investigações.

Alessandra Wilke e Ana Maria Santos têm autorização para acompanhar depoimentos e possíveis acareações. As duas delegadas foram afastadas depois que um vídeo gravado dentro do avião da Polícia Civil durante a transferência de Bruno do Rio de Janeiro para Belo Horizonte foram exibidas no programa “Fantástico”, da Rede Globo.

As imagens mostram Bruno falando sobre a relação com Eliza Samudio e culpando o amigo e funcionário, Luis Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, pelo desaparecimento da jovem.

Corregedoria

Na segunda-feira, um dia depois da exibição do vídeo, o o chefe da Polícia Civil, delegado Marco Antônio Monteiro, determinou que a Corregedoria-geral da corporação apure, com prazo de 48 horas, quem são os responsáveis pela filmagem e vazamento do vídeo.

O tempo para as apurações da corregedoria termina nesta terça-feira e a Polícia Civil ainda não informou se haverá uma coletiva para divulgar quem são os responsáveis pela gravação e vazamento do vídeo.

Confira o especial sobre o caso Bruno